.

Parceria do Maranhão e Pará visa fortalecer o turismo da Amazônia no mercado internacional

Com a proposta de ampliar o diálogo e a escuta com gestores, profissionais e atores do setor turístico, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado do Turismo (Setur), promoveu, na última semana, em São Luís, o encontro entre gestores estaduais de turismo do Maranhão e Pará. O objetivo foi discutir políticas públicas, com a apresentação das iniciativas de gestão, bem como para tratar as demandas e articulação, para o desenvolvimento e fomento do turismo ligado ao Pará e Maranhão, com foco, principalmente, no mercado de turismo internacional. 

O encontro contou com a participação do secretário de Estado do Turismo, Paulo Matos e o secretário de Estado de Turismo do Pará, André Dias. Pela Setur, participaram, também, o secretário adjunto, Hugo Veiga; e a superintendente de Promoção e Marketing, Cristiane Muller. 

“Esses encontros são de fundamental importância, pois o nosso projeto da Rota da Amazônia reúne Pará, Maranhão e Amazonas. Discutimos a retomada da rota integrada, assim como já temos a Rota das Emoções. Estamos em um esforço conjunto para que cada estado apresente dois produtos. No Maranhão, já escolhemos São Luís e Lençóis Maranhenses”, explicou o secretário Paulo Matos. 

Ente as pautas discutidas, os secretários falaram da retomada da construção do roteiro chamado Rota Amazônia, que integra três estados da Amazônia: Amazonas, com os produtos de Manaus e Anavilhanas; Pará, com Belém e o Marajó; e o Maranhão, com São Luís com os Lençóis Maranhenses. 

Mesmo sendo um país de dimensões continentais, o Brasil tem somente a Rota das Emoções (estados do Maranhão, Piauí e Ceará) como roteiro integrado sendo comercializado nacional e internacionalmente.

Também foram discutidos os trabalhos de articulação, desenvolvimento e fomento do projeto que reúne atrativos do Pará, Amazonas e Maranhão, compreendendo o mercado de turismo de longas distâncias e a cadeia do turismo. 

“O Governo do Maranhão está preparando um pacote de medidas para alavancar o setor, além de gerar emprego e renda para o estado; estamos de portas abertas para o diálogo com gestores do turismo e toda cadeia produtiva do setor”, afirmou Paulo Matos.  

A Rota Amazônia reúne os principais atrativos da Amazônia nos três estados que mais recebem turistas na região, para ganho de competitividade no mercado internacional. A iniciativa privada tem sido convidada para aderir ao projeto para que agências de viagem e operadoras de turismo possam vender esses roteiros e pacotes. A expectativa é que a rota possa gerar maior atratividade, acessibilidade e capacidade de geração de fluxo turístico na região. 

O secretário de Estado de Turismo do Pará, André Dias, falou do diálogo com o Maranhão sobre a continuidade do projeto Rota Amazônica. “Estamos muito entusiasmados em poder dar continuidade a um projeto que nós estamos trabalhando já há algum tempo, que é a Rota Amazônia”. 

André Dias prevê a integração dos nossos destinos amazônicos para promoção desses produtos principalmente no mercado internacional. “O ano de 2023 é para decolar de uma maneira bem forte e incisiva nesse mercado”, afirmou.  

O secretário Paulo Matos falou também da importância de um voo na Amazônia com ligação direta para a América do Norte, a linha Belém-Fort Lauderdale (Flórida, EUA), operada pela Azul. 

“Nós queremos atrair e aproveitar esse voo internacional, vindo dos EUA e com conexão em Belém, para trazer o público norte-americano para conhecer esses nossos atrativos amazônicos. Esse é um esforço das esferas públicas, mas também com a participação ativa do trade turístico e empresários. Uma grande oportunidade para os estados amazônicos, num esforço unificado de promoção, divulgação e comercialização, que sozinhos não teríamos condições de fazer”, comentou Paulo Matos. 

O secretário adjunto do Turismo, Hugo Veiga explicou que, para promoção internacional, é muito mais eficaz os estados trabalharem de forma consorciada, do que de forma isolada.

“Então, lançamos mão de ter mais um roteiro integrado fortalecendo a comercialização fora do país, pois juntos somos mais fortes, então queremos ocupar o espaço de ter um roteiro integrado, fortalecendo a comercialização fora do país. Dentro das pautas tratamos ainda ações de promoção da Rota Amazônia, tanto nos Estados Unidos quanto em Portugal, que são os países onde o Pará tem voos diretos”, ressaltou Hugo Viegas.