.

NWADV aumenta vagas para pessoas com deficiência e capacita colaboradores em linguagem de Libras

Com o objetivo de avançar na agenda de diversidade e possibilitar a inserção profissional de pessoas com deficiência no mercado jurídico formal, o Nelson Wilians Advogados está ampliando a contração, em regime celetista, de profissionais mudos e com deficiência auditiva para a matriz do escritório, em São Paulo e outros estados das outras regiões.

O NWADV ainda irá disponibilizar treinamento em Libras (Língua Brasileira de Sinais) aos colaboradores que desejarem, para aprofundar a integração com os profissionais portadores de deficiência. Até 100 pessoas devem ser capacitadas em uma primeira etapa.

“Queremos ampliar o número de pessoas com deficiência em áreas distintas dentro do NWADV e, ao mesmo tempo, a partir de iniciativas de educação corporativa, garantir a receptividade desses novos profissionais”, explica Nelson Wilians, presidente do NWADV. “Além de contribuir para o avanço da agenda de diversidade na advocacia, atendemos a um compromisso social com grupos minorizados.”

De acordo com dados de 2019 do IBGE, apenas 5% das pessoas com 18 anos ou mais têm ensino superior completo, enquanto 67,6% têm o ensino fundamental incompleto ou nenhuma instrução.

“As pessoas com deficiência estão fragilizadas em seu direito de acesso à educação e às oportunidades do mercado de trabalho, restando, consequentemente, em estado de vulnerabilidade social”, ressalta Anne Wilians, sócia do NWADV e presidente do INW-Instituto Nelson Wilians.

A abertura de novas vagas para pessoas com deficiência faz parte do projeto “Inclui NW”, que tem o propósito de fomentar um ambiente diverso, inclusivo e de equidade em nossas unidades de advocacia e no Instituto INW.

O projeto é coordenado pelo departamento de Gestão de Pessoas, responsável pela validação de definições técnicas de planejamento, gestão, execução e procedimentos de avaliação que serão desenvolvidos. “Além de contribuir com a empregabilidade de pessoas mudas e com deficiência auditiva no mercado de trabalho, queremos colaborar com a Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas (ONU), que estabeleceu os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). Assim, o resultado é para a sociedade como um todo”, finaliza Anne Wilians.