Transição energética justa e Margem Equatorial são destaques de fórum promovido pela Petrobras no Maranhão

Um dos temas prioritários para a Petrobras, a transição energética justa será um dos focos do fórum “Transição Justa e Segurança Energética”, promovido pela Petrobras nesta sexta-feira (15/3) na capital maranhense, São Luís. Organizado em parceria com o Consórcio Amazônia Legal e o Governo do Estado do Maranhão, o evento reúne autoridades e especialistas com o objetivo de debater a transição energética responsável, que não exclui os menos favorecidos da equação, além de temas relacionados à garantia do fornecimento energético, autossuficiência na produção de petróleo e gás no país e perspectivas de atuação na Margem Equatorial brasileira.

O presidente da Petrobras, Jean Paul Prates, participará da abertura e do encerramento do evento, em conjunto com governadores do Consórcio Amazônia Legal. Essa organização é formada pelos estados: do Acre, Amapá, Amazonas, Mato Grosso, Maranhão, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. Os governadores do Maranhão, Carlos Brandão; Pará, Hélder Barbalho – que preside o consórcio Amazônia Legal; e do Amapá, Clécio Luís, são presenças confirmadas no fórum.

“Estamos olhando para as novas energias, sem abrir mão da produção de petróleo, pois todos os cenários futuros indicam que o planeta precisará do petróleo por muito tempo. Vamos fazer a transição energética justa de forma gradual, responsável e crescente, buscando a diversificação. Estamos produzindo energia acessível para as pessoas, descarbonizando nossas operações e usando nosso conhecimento técnico para entrar em novos negócios de baixo carbono. As perspectivas apontam que a Margem Equatorial será fundamental nessa transição, tanto sob o aspecto de novas reservas como na descarbonização das operações”, afirma Jean Paul Prates

Para atingir os objetivos descritos pelo presidente, a Petrobras continua as suas atividades de pesquisa de petróleo na Margem Equatorial, faixa da costa que vai do Amapá até o Rio Grande do Norte. A companhia perfurou na Bacia Potiguar, o poço de Pitu Oeste, no Rio Grande do Norte, bem como iniciou a perfuração do poço Anhangá, no mesmo estado. O Ibama concedeu o licenciamento para essas duas perfurações. O Plano Estratégico2024-2028+ da Petrobras prevê investimentos de US$ 3,1 bilhões destinados às atividades na Margem Equatorial, onde a companhia deve perfurar 14 poços nos próximos cinco anos.

Joelson Mendes, diretor de Exploração e Produção da Petrobras, participa do fórum com a palestra “Atuação da Petrobras nas Bacias Norte e Nordeste”. Em sua apresentação ele detalhará que o foco da pesquisa da Petrobras está nas novas fronteiras de óleo e gás. “Estamos em busca de uma nova geração de campos, que possam produzir e garantir a segurança energética do país, como avaliamos ser possível na Margem Equatorial, onde pretendemos contribuir para a inovação, ciência e tecnologia na região. Além disso, faremos investimentos que resultarão na geração de emprego e renda para a população local”, declarou Joelson.

Outro ponto alto da programação será a palestra da gerente geral de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação em E&P, do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), Roberta Mendes, com o tema “Geração de conhecimento, preservação e conservação da floresta e de ambientes sensíveis”. Roberta abordará o histórico de pesquisas científicas da Petrobras na Margem Equatorial. Uma das frentes nessa área são expedições científicas com o objetivo de ampliar os dados e informações sobre características da região. Uma dessas expedições será iniciada no fim de março e será formada por pesquisadores da Petrobras, do Serviço Geológico do Brasil (SGB) e de 12 universidades de estados que compõem a região geográfica da Margem Equatorial (MEQ) e mais duas do Sudeste, que viajarão a bordo do navio Vital de Oliveira, da Marinha Brasileir

A programação do fórum incluirá ainda palestras sobre temas como novas fronteiras de produção de petróleo e gás em bacias terrestres do Norte e Nordeste, geração de emprego e renda, e impactos socioeconômicos da produção de óleo e gás na Margem Equatorial e a coexistência de energias fósseis e renováveis. O fórum acontecerá ao longo da manhã e tarde desta sexta-feira, na área de eventos do Blue Tree Towers, em São Luís, Maranhão.