Queda de idosos: A fisioterapia e cuidados em casa na prevenção dos acidentes

O envelhecimento é um processo natural da vida e uma das principais preocupações na fase idosa das pessoas são as quedas. Dados do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (Into) do final de 2020, apontam que um em cada três idosos com mais de 65 anos sofre queda, e, um a cada vinte sofrem fratura ou necessitam de internação.

Alterações físicas são normais com o passar dos anos e alguns fatores são essenciais para o aumento da probabilidade de um acidente desse tipo em casa. As situações da rotina e detalhes do ambiente podem ser cruciais para evitar ou não os acidentes.

“Os idosos com maior probabilidade de sofrer com as quedas são aqueles com alguma doença que afete seu sistema motor, e consequentemente a locomoção e o equilíbrio. Dependendo da gravidade da enfermidade, maior deve ser à atenção”, relata a fisioterapeuta, Thayná Santana.

Diminuição dos riscos

Segundo a fisioterapeuta, alguns procedimentos fisioterapêuticos podem ser tomados para diminuir a chance desses acidentes:

– Atividades físicas, mesmo que leves, são recomendadas para manutenção da força e preservação da coordenação motora. Além de melhorar o humor, a disposição, o condicionamento físico e o sistema imunológico.

– Exercícios fisioterapêuticos, como os proprioceptivos podem aumentar o sistema motor e melhor o equilíbrio do idoso.

– A hidroterapia (exercícios na água) é benéfica se realizada na medida certa.

– E uma maior flexibilidade dos músculos e das articulações, além de uma melhor circulação sanguínea são possíveis através de alongamentos simples.