O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

Programa Novas Hortas Pedagógicas e Comunitárias na Escola Casa Familiar Rural,é lançado no Quebra-Pote

O prefeito Eduardo Braide lançou, nesta sexta-feira (19), o programa Novas Hortas Pedagógicas e Comunitárias. Por meio da ação, a Prefeitura irá garantir a inclusão social e produtiva dos pequenos produtores, além de alimentos de qualidade que serão utilizados nas refeições ofertadas nas escolas da rede municipal de ensino de São Luís. O programa foi lançado na Escola Casa Familiar Rural, localizada no bairro Santa Helena, região do Quebra-Pote, na Zona Rural. 

“Na Escola Casa Familiar Rural, temos a produção de uma agricultura orgânica e mais saudável. Por isso, a importância e a felicidade de podermos implantar aqui o programa Novas Hortas Pedagógicas e Comunitárias, por meio do qual os alunos de 14 escolas da rede municipal e os produtores de 10 bairros de São Luís vão poder produzir alimentos que serão utilizados nas refeições servidas nas nossas escolas. Assim, vamos garantir aos nossos alunos uma educação mais completa, aprendendo a cultivar e a ver a terra como meio de produção e aprendizado, beneficiando toda a nossa cidade”, destacou o prefeito Eduardo Braide, durante o lançamento do programa. 

A vice-prefeita, Esmênia Miranda, frisou a importância do programa. “Estamos retomando as hortas pedagógicas e comunitárias com um novo aporte de recursos e acompanhamento técnico adequado. Com isso, vamos unir educação e os saberes da região, garantindo alimentos mais saudáveis para todos”, disse. 

A implementação do programa ocorrerá por meio de parceria entre a Prefeitura de São Luís, o Ministério da Cidadania e a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), que assinaram termo de convênio, nesta quinta-feira (18), para o envio de R$ 3,2 milhões ao município para a execução do programa. 

O secretário Nacional de Inclusão Social e Produtiva do Ministério da Cidadania, Delcimar Oliveira, afirmou que a execução do programa trará diversos benefícios para São Luís. “Tivemos a felicidade de encontrarmos uma equipe competente e engajada para a implantação desse programa que irá melhorar a qualidade do alimento que chega à mesa da população e que, principalmente, vai dar aos estudantes a possibilidade de aprender sobre o plantio na prática”, disse. 

Os recursos para o programa foram destinados por meio de articulação do deputado federal Aluísio Mendes (PSC) junto ao Ministério da Cidadania. “Temos a certeza que o prefeito Eduardo Braide saberá aplicar estes recursos com competência, levando aos alunos da rede municipal e aos pequenos produtores as condições necessárias para o aprendizado no cultivo da terra, servindo alimentos com cada vez mais qualidade para a população”, afirmou o parlamentar. 

O deputado federal Aluísio Mendes (PSC) também informou que, além dos R$ 3,2 milhões, também serão encaminhados mais R$ 1,7 milhão oriundo de saldo orçamentário da Secretaria Nacional de Inclusão Social e Produtiva do Ministério da Cidadania, além de um caminhão, que será destinado à Secretaria Municipal de Segurança Alimentar (Semsa) para uso na entrega de alimentos em São Luís.

Programa

Por meio do programa Novas Hortas Pedagógicas e Comunitárias serão implantadas 14 hortas pedagógicas em escolas da rede municipal de ensino e 10 hortas comunitárias em bairros de São Luís. As hortas serão implantadas em áreas ociosas e usadas para o descarte irregular de lixo. 

A iniciativa, segundo o secretário Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento, Liviomar Macatrão, reforça a importância de proteger o meio ambiente e estimular o consumo de alimentos saudáveis. “Este é um projeto de reeducação alimentar e consciência ambiental de suma importância nos dias de hoje, além do lado pedagógico, que é fundamental. O cultivo das hortas no ambiente escolar ajuda a transformar o pensamento e as atitudes das crianças sobre hábitos alimentares. Por meio deste programa, vamos fortalecer a agricultura familiar, aumentar a produção de alimentos entregues para as famílias de baixa renda e oferecer uma formação com mais qualidade para os estudantes”, informou. 

Nas hortas são cultivadas verduras, legumes e temperos, incluindo tomate, alface, coentro, salsa, cebolinha, entre outros, que serão utilizados no preparo do lanche e almoço servidos aos alunos e funcionários das escolas da rede municipal de ensino. 

O trabalho nas hortas será executado por meio de parceria entre as secretarias municipais de Agricultura, Pesca e Abastecimento (Semapa); Segurança Alimentar (Semsa) e Educação (Semed). A execução do programa será coordenada por funcionários das escolas previamente selecionadas pela Semed, em sistema de revezamento, a partir de uma capacitação aos cuidados de técnicos da Semapa. 

As ações desenvolvidas partem do plantio e colheita como ferramentas de oportunidades e alternativas de renda, fortalecendo os programas relacionados à segurança alimentar e nutricional e contribuindo na garantia de uma alimentação saudável. O projeto cumpre etapas de apresentação, identificação e seleção do local, mobilização e inscrição de famílias, capacitação, formação do comitê gestor e implantação.

Escola Casa Familiar Rural

A Escola Casa Familiar Rural funciona desde 2001 e atualmente atende a 55 alunos a partir dos 15 anos, todos filhos de pequenos agricultores rurais da região. A instituição funciona em regime de internato na modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA), adotando uma pedagogia de alternância, com tempo na escola e tempo na comunidade. Os alunos ficam de segunda-feira a sexta-feira na escola e passam os fins de semana em casa. Além das disciplinas do currículo comum, eles têm aulas de piscicultura, agricultura e empreendedorismo. 

Também participaram do lançamento do programa, a coordenadora Geral de Fomento do Departamento de Fomento à Inclusão Social e Produtiva Rural do Ministério da Cidadania, Luana Costa; a vereadora Silvana Noely (PTB); o superintendente da 8ª Regional da Codevasf, Celso Adriano Costa Dias; a diretora da Escola Casa Familiar Rural, Samara Tanabi; o presidente da União de Moradores do Quebra-Pote, Valderi Ribeiro; e a presidente a Associação dos Pequenos Produtores de Cabral Miranda, Leandra de Jesus. 

Acompanharam o prefeito Eduardo Braide, o secretário Municipal de Segurança Alimentar, Júnior Vieira; a secretária-adjunta de Educação, Gusmaia Mousinho Pestana; o secretário-adjunto da Semapa, Dilmar Sousa de Araújo; e o presidente do Comitê Gestor de Limpeza Urbana, Joabson Júnior.