Pacientes da Covid-19 e familiares se reencontram através do Projeto Janelas para o Amor

A internação de um paciente por Covid-19 é diferenciada, pois acaba criando um distanciamento compulsório da família. Pensando nisso, os profissionais de saúde do Hospital Macrorregional de Caxias Dr. Everaldo Ferreira Aragão, que integra a rede estadual de saúde, criaram uma nova possibilidade de encontro entre os pacientes da ala Covid-19 e seus familiares, através do Projeto “Janelas para o Amor”. 

O diretor-geral do Hospital Macrorregional de Caxias, Jefferson Coutinho, destaca a importância de ações de assistência emocional aos pacientes em tratamento contra a Covid-19 na unidade de saúde. “Iniciativas como essas melhoram consideravelmente o emocional que afeta diretamente na questão do tratamento do paciente, pois o isolamento acaba sendo muito penoso. A proximidade com os familiares deixa tanto pacientes quanto familiares mais tranquilos”, avalia o diretor. 

Idealizador do projeto e psicólogo da unidade, Antônio Soares Mantovam explica que todos os dias os pacientes são estimulados pelos profissionais de psicologia, fisioterapia e enfermagem a sair dos leitos e caminhar pelos corredores da área privativa aos pacientes com Covid-19.

“Observando a possibilidade de manter o distanciamento e preservando o contato visual, a equipe percebeu que era possível dar aos pacientes um momento especial com seus familiares, aproveitando a área dividida por grades e janelas de vidro. A comunicação entre o paciente e o familiar acontece através de uma chamada de voz”, esclarece o idealizador do projeto, Antônio Mantovam. 

As visitas do projeto acontecem às terças e quintas-feiras, mediante solicitação da família e avaliação do paciente, no que diz respeito à suporte e mobilidade. A unidade de saúde disponibiliza os EPIs e dá as devidas orientações com relação às medidas sanitárias para a segurança de todos os envolvidos. 

Um dos participantes do projeto foi o aposentado José Rodrigues de Abreu, 66 anos, que é do município de Bacabal e está em tratamento na unidade por conta da Covid-19 desde o dia 10 de agosto. “É muito bom poder rever minha família, mesmo que de longe. Assim, esquecemos um pouco dos nossos problemas. Poder vê-los fez eu me sentir melhor”, afirma o aposentado. 

Seu Raimundo Pereira Nascimento, 80 anos, também aprovou a iniciativa. Natural da cidade de Coelho Neto, o aposentado foi admitido na unidade no dia 4 de agosto e conta que gostou muito de poder rever a família, mesmo que de longe. “Foi maravilhoso poder revê-los, saber notícias deles, ao mesmo tempo poder dar notícias minhas e dizer que meu tratamento está indo bem”, comemorou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *