Fiocruz será parceira no Instituto Maranhense de Infectologia no estudo de Doenças Tropicais e infecto parasitárias

O governador Flávio Dino sancionou na última quinta-feira (8) a lei que cria o Instituto Maranhense de Infectologia (IMI), importante avanço na área da saúde no Maranhão. O novo equipamento da gestão estadual contará com a parceria da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), voltada para pesquisa, desenvolvimento e inovação no campo das doenças infecto parasitárias, através de uma cooperação técnica e científica.

Com esta parceria, serão também oferecidos programas de pós-graduação pela Fiocruz, incluindo especializações, mestrado e doutorado. 

Durante cerimônia virtual, o governador Flávio Dino, destacou a importância dessa parceria. “Essa é uma parceria que nós precisamos, pela experiência, pela inteligência acumulada na Fiocruz, que é um dos orgulhos do país, um patrimônio do povo brasileiro e nós queremos que isso se internalize de algum modo no nosso estado”, afirmou o governador. 

O Instituto Maranhense de Infectologia vai permitir o desenvolvimento de pesquisas na área de ciência biomédica básica e clínica, para combate às doenças tropicais e infecto parasitárias, como: AIDS, sífilis, tuberculose, hanseníase, hepatites virais, viroses respiratórias, meningites infecciosas, toxoplasmose, doença de Chagas, dengue, zika, dentre outras.

Para o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula, o objetivo é construir um legado que ficará após a pandemia. “Todo o nosso planejamento para o enfrentamento da pandemia considerou importante que construíssemos estruturas que pudessem permanecer para fortalecer a rede estadual de saúde. O Instituto que vamos criar é fruto desse planejamento”, ressalta o secretário Carlos Lula.  

O pesquisador titular e coordenador de Estratégias de Integração Regional e Nacional da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), Wilson Savino, também participou da cerimônia e falou sobre a importância de um instituto desse porte para o Maranhão. “É uma honra muito grande para a Fiocruz participar de alguma forma do movimento de criação desse Instituto Maranhense de Infectologia. E eu tenho certeza que esse Instituto, assim como a própria Fundação Oswaldo Cruz, será mais um exemplo de cooperação e solidariedade em contraponto à competição e ao individualismo”, declarou o pesquisador.

O novo Instituto também vai atuar na pesquisa, tratamento e enfrentamento da Covid-19. Outro importante ganho para os maranhenses além do Instituto é a instalação do Hospital de Doenças Infecto Parasitárias Dr. Genésio Rêgo, espaço de referência para assistência médica especializada e gratuita aos pacientes diagnosticados com doenças tropicais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.