Diálogo sobre prevenção e proteção a vítimas de trabalho escravo é realizado com técnicos da assistência social

Para ampliar o diálogo sobre combate ao trabalho escravo no Maranhão, a Secretaria do Desenvolvimento Social (Sedes) realizou, no período de 24 a 28 de agosto, a primeira etapa da capacitação sobre “Atuação na prevenção e na proteção social a vítimas do trabalho escravo”, para 90 técnicos da Política de Assistência Social do município de São Luís. 

Realizada em parceria com a Secretaria dos Direitos Humanos e Participação Popular (Sedihpop) e Organização Internacional do Trabalho (OIT), a formação tem carga horaria de 8 horas e será destinada aos 40 municípios com maior índice de trabalho escravo no Maranhão. O objetivo é unir esforços para modificar a realidade social, econômica e educacional dos trabalhadores vítimas desta prática.  

Para o secretário Márcio Honaiser, a formação potencializa as equipes e os serviços socioassistenciais, fortalecendo a articulação com as demais políticas públicas a fim de gerar emprego e renda aos trabalhadores resgatados.

“O Maranhão é pioneiro no desenvolvimento de trabalhos como este, que atuam na intervenção pública da Política de Assistência Social e integra um conjunto de ações executadas pelas políticas de direito. Seguimos na luta pela reversão desse quadro de desigualdades, assegurando políticas públicas, direitos e condições de vida com dignidade às vítimas do trabalho escravo”, disse o secretário. 

Segundo o Ministério Público do Trabalho (MPT), ONG Repórter Brasil, e a Organização Internacional do Trabalho (OIT), o Maranhão ocupa o primeiro lugar no ranking nacional de naturalidade dos trabalhadores libertados, representando 23% dos casos. Esses trabalhadores deixam seu local de origem para trabalhar em regiões de expansão agropecuária ou grandes centros urbanos, em busca de mais oportunidades de trabalho e melhoria de renda para garantir a sobrevivência do núcleo familiar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.