Centro de Operações de Emergências aprova protocolo para piloto do Programa de Rastreio

Membros do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública do Estado do Maranhão (COE) aprovaram por unanimidade a execução de um projeto piloto do Programa de Rastreio. A iniciativa piloto será realizada nos municípios de São José de Ribamar e Santa Inês e tem por objetivo fazer a busca de casos suspeitos do novo coronavírus, assim como o monitoramento clínico e epidemiológico da doença. 

“Fazer saúde pública com responsabilidade envolve pesquisa e comprovação científica na hora de traçar estratégias. Ao discutirmos as medidas de enfrentamento à Covid-19 no Maranhão, também buscamos dialogar com os municípios para que eles sejam nossos parceiros nesta luta. Assim, com ações de apoio a Atenção Primária, aumentaremos as chances de identificação precoce e a quebraremos a cadeia de transmissibilidade em nível local”, disse o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula. 

O Programa de Rastreio tem em sua linha de trabalho a estruturação e padronização das ações realizadas nos 217 municípios do estado do Maranhão, com o apoio dos agentes comunitários de saúde (ACS), saúde da família (PSF), e outros profissionais. Entre os objetivos do programa estão o rastreamento dos casos suspeitos de Covid-19, o auxílio no diagnóstico precoce e o fortalecimento da notificação e do banco estadual de informações sobre o coronavírus através do sistema ‘Notifica COVID-19/MA’. 

O Programa também faz a sistematização dos processos de trabalho relacionados ao rastreamento de casos suspeitos do novo coronavírus e de monitoramento clínico e epidemiológico dos casos positivos para Sars-CoV-2 (Covid-19) no estado. Dessa forma, através da busca ativa, é feita a identificação dos casos suspeitos, bem como o rastreamento dos contatos dos casos confirmados para a doença.

Segundo a secretária adjunta de Políticas de Atenção Primária e Vigilância em Saúde, Waldeise Pereira, o projeto piloto norteará a identificação dos casos e o manejo correto das síndromes gripais (SG) leves e moderadas. “Como a Atenção Primária é a porta de entrada para toda e qualquer assistência, ela tem por responsabilidade fazer a busca ativa dos pacientes. Por isso, além de fortalecer as medidas preventivas vigentes, também ajudará a controlar a doença no Maranhão”, destacou.

A iniciativa atua em conjunto com o sistema de informação ‘Notifica COVID-19/MA’, lançado pela Secretaria de Estado da Saúde (SES) em parceria com pesquisadores da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O projeto piloto deve iniciar suas atividades entre os meses de agosto e setembro. Até lá, a SES deverá realizar webconferências com as regionais de saúde e municípios para apresentar e explicar o programa.

Integram o COE Covid-19 do Maranhão: o secretário e a subsecretária de Estado da Saúde, Carlos Lula e Karla Trindade, bem como representantes da Secretaria Adjunta da Política de Atenção Primária e Vigilância em Saúde (SAPAPVS-SES), da Secretaria Adjunta de Assistência em Saúde (SAAS-SES) e da Empresa Maranhense de Serviços Hospitalares (Emserh).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.