.

Central de Digitalização e Migração virtualiza mais de 70 mil processos.

Mais de 50% dos processos em papel que tramitam nas unidades judiciais do interior do Maranhão e serão transferidos para o ambiente digital já foram digitalizados e virtualizados pela empresa terceirizada contratada pelo Poder Judiciário para alizar o serviço..

De acordo com informação da Central de Digitalização e Virtualização, 134. 867 processos físicos foram identificados, em tramitação na Justiça estadual de primeiro grau dno Estado e deverão ser virtualizados para o ambiente eletrônico.

Desse total, a Central já recebeu 72.375 (53,66%) processos remetidos pelas varas judiciais e realizou a migração de 70.784 (52,48%) para o Sistema Processo Judicial Eletrônico (Pje. Remetidos para o Arquivo do Judiciário, foram 58.000 (43,01%).

Depois de virtualizados, os processos são enviados para guarda do Arquivo Central do Poder Judiciário, que funciona junto ao Depósito Judicial, no bairro Parque Pindorama, na capital. Ao todo, 58 mil processos já foram arquivados, após a virtualização dos documentos que integram os autos.

Gráfico mostra evolução da virtualização de processos físicos. (Fonte: SOSDocs).

ETAPAS DA MIGRAÇÃO PROCESSUAL

As etapas da virtualização processual – digitalização dos documentos dos processos em papel e a migração para o sistema eletrônico – são feitas por 75 funcionários da empresa terceirizada, no auditório do Fórum, onde foram instalados 35 computadores e 20 scanners para a realização do serviço. 

Na semana passada, mais um carregamento, com 3.797 processos físicos, chegou ao Fórum “Desembargador Sarney Costa”, no bairro do Calhau, para que serão transformados em autos digitais e inseridos no sistema Processo Judicial Eletrônico, onde tramitarão, exclusivamente, de forma eletrônica e poderão ser acessados pela internet pelas partes processuais.

Esses processos foram selecionados e encaminhados pelos servidores da 1ª e 2ª varas das comarcas de Timbiras, São Mateus e Coroatá e transportados em caminhões do Judiciário até a Central, em São Luís.

Funcionário organiza processos físicos para enviar ao arquivo do Judiciário.

O juiz coordenador da Coordenadoria de Digitalização e Virtualização da Corregedoria Geral da Justiça, José Jorge Júnior, recomendou aos servidores das unidades judiciais que os processos a serem remetidos para virtualização sejam corretamente encaixotados e identificados, com número e relação dos processos.

CONSULTA PÚBLICA À VIRTUALIZAÇÃO

Os usuários da Justiça interessados podem acompanhar o processo de virtualização na Justiça estadual de Primeiro Grau (varas, juizados e turmas recursais) pela internet e por meio do aplicativo Termojuris.

Segundo as estatísticas do sistema, já foram virtualizados 339.939 processos da Justiça estadual do Primeiro Grau que tramitavam em papel. Restam mais 82.881, sendo 238.228 criminais e 101.711 não criminais (dados até 4/10/2022).

O Termojuris informa quantos processos foram virtualizados por mês e o percentual de conversão por unidade judicial. Informa, ainda, quais unidades já virtualizaram 100% dos processos físicos. É o caso, por exemplo, da Vara do Idoso, Vara de Interdição, Sucessões, Tutela e Curatela e Ausências, Central de Inquéritos e Custódia e Vara da Mulher de Imperatriz, dentre outras.