O Maranhense|Notícias do Estado do Maranhão

VLI recicla 50 mil toneladas de sucata metálica entre 2020 e 2021

Para reutilizar matérias-primas e evitar o uso de novos recursos naturais em etapas de fabricação, além de contribuir com a geração de economia circular, a VLI – companhia de soluções logísticas que opera terminais, ferrovias e portos – recicla periodicamente sucata metálica. Do ano passado até maio de 2021 destinou 50 mil toneladas do produto à reciclagem, uma meta relevante a ser comemorada neste mês em que é celebrado o Dia Mundial do Meio Ambiente e que comprova o compromisso socioambiental da empresa.

O especialista em Educação Ambiental da VLI, Itamar Lucas Magalhães, ressalta que essa não é uma ação pontual. “A reciclagem da sucata metálica é uma prática que a VLI faz, pois entende que é o correto a ser feito. Ao deixar de consumir recurso natural, o meio-ambiente é preservado e há a geração da economia circular. Isso significa que há a quebra do ciclo linear: comprou, usou, descartou”.

Segundo Itamar Magalhães, a VLI segue a Política Nacional de Resíduos Sólidos, que preconiza a reciclagem. E a companhia faz isso em toda a sua operação. “A empresa tem o compromisso de seguir as premissas da Política Nacional de Resíduos Sólidos e os materiais reciclados não se restringem à sucata metálica, que é inerente à operação da companhia. Essa sucata é vendida e, a grande importância, é fomentar a economia circular, dando novos usos a esse material”, explica. A empresa também recicla papel, plástico e papelão, dentre outros.

Negócio sustentável

Conforme o analista administrativo da VLI, Lucas Domeniquine Dorazio, a reciclagem de sucata metálica ocorre na companhia desde que ela surgiu. “Com essa ação, conseguimos captar receita e ajudar no resultado da empresa por meio de materiais metálicos. Temos contribuído muito com o mercado, pois oferecemos metais que, por sua vez, se transformam em ferro para construção civil”.

O próprio vagão do trem, quando é disponibilizado para venda, tem o mesmo destino da sucata. “Cortamos o vagão e o vendemos para o ciclo de ferros. Chapas são produzidas e farão parte do vagão novamente. Ele volta renovado”, explica.

Lucas Dorazio garante que isso torna o negócio mais sustentável e mostra que a VLI se preocupa com o meio ambiente. “Tentamos buscar recursos não só na sucata ferrosa, mas em diversos tipos de materiais e em outros segmentos. Trabalhamos junto com o Meio Ambiente para trazer mais sustentabilidade para a companhia”, finaliza.

Sobre a VLI

A VLI tem o compromisso de apoiar a transformação da logística no país, por meio da integração de serviços em portos, ferrovias e terminais. A empresa engloba as ferrovias Norte Sul (FNS) e Centro-Atlântica (FCA), além de terminais intermodais, que unem o carregamento e o descarregamento de produtos ao transporte ferroviário, e terminais portuários situados em eixos estratégicos da costa brasileira, tais como em Santos (SP), São Luís (MA) e Vitória (ES). Escolhida como uma das 150 melhores empresas para trabalhar pela revista Você S/A, a VLI transporta as riquezas do Brasil por rotas que passam pelas regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.