UEMASUL, UEMA, Sagrima e Fapema firmam parceria para Residência Profissional em Ciências Agrárias

Na manhã desta quinta-feira (20), a reitora da Universidade Estadual da Região Tocantina do Maranhão (UEMASUL), professora Elizabeth Nunes Fernandes, participou da assinatura de convênio que tem como objetivo implantar o Programa Institucional de Residência Profissional em Ciências Agrárias.

Participaram da assinatura do convênio o governador Flávio Dino; o secretário Sérgio Delmiro, da Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Pesca do Maranhão (SAGRIMA); o professor Walter Canales Sant’ana, vice-reitor da Universidade Estadual do Maranhão (UEMA), além do professor André Santos, diretor-presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema).

Na cerimônia, que aconteceu no Palácio dos Leões, na capital São Luís, também estiveram presentes o vice-governador, Carlos Brandão; a secretária adjunta da Sagrima, Rosani Aranha; o diretor científico da FAPEMA, João Batista Bottentuit Junior; o pró-reitor de Extensão da UEMA, professor Paulo Catunda, e a diretora do Centro de Ciências Agrárias da UEMA, professora Ana Maria Silva de Araújo.

O Programa Institucional de Residência Profissional em Ciências Agrárias irá proporcionar aos profissionais um período de treinamento prático, orientado e supervisionado, no qual o residente será inserido no ambiente real de trabalho, oportunizando o ingresso no mercado de trabalho, unindo teoria e prática, contribuindo para que ele possa estabelecer e fortalecer suas redes de relacionamento profissional.

A residência tem como objetivo desenvolver habilidades, competências e responsabilidades indispensáveis ao exercício profissional, bem como a ampliação e aprofundamento do conhecimento técnico, aprimorando a agropecuária no estado do Maranhão, gerando impacto social, econômico e ambiental.

Durante a cerimônia de celebração do convênio, a reitora Elizabeth Nunes Fernandes destacou o papel acadêmico e social da residência. “Do ponto de vista acadêmico, é muito importante uma política para o egresso, além de ser muito bem vista na avaliação das nossas instituições. Na questão social, poderemos dar oportunidade para estes jovens, especialmente em um momento como este, que é o da pandemia, onde temos poucas oportunidades de ingresso destes profissionais no mercado de trabalho”, ressaltou.

A Região Tocantina, área de abrangência da UEMASUL, é composta por um vasto território onde a agricultura e pecuária têm forte presença, com um comércio dinâmico em processo de crescimento. Situação que, para a diretora do Centro de Ciências Agrárias (CCA) da UEMASUL, professora Mauricélia Ferreira Almeida, exige cada vez mais profissionais qualificados. 

“Este convênio em Residência Profissional em Ciências Agrárias será de grande importância para a UEMASUL, uma vez que o programa vai contribuir para a qualificação dos jovens egressos dos cursos de Engenharia Agronômica, Engenharia Florestal e Medicina Veterinária. Por meio de treinamento prático, vai possibilitar a inserção do profissional no mercado de trabalho, além de fortalecer a academia com a realidade da agropecuária maranhense. Esperamos que com esse programa tenhamos profissionais mais preparados para responder às demandas do agronegócio brasileiro, melhorando a qualidade nos serviços prestados, além de contribuir para a redução do desemprego”, explicou a diretora do CCA, Mauricélia Almeida.

Sobre o Programa

O Programa Institucional de Residência Profissional em Ciências Agrárias é coordenado pela SAGRIMA, com o apoio Acadêmico e Científico da UEMA e UEMASUL, e a seleção dos candidatos será realizada pela FAPEMA.

Está prevista a oferta de 100 vagas para o programa, distribuídas da seguinte forma: 35 vagas para formados em Agronomia ou Engenharia  Agronômica, 10 vagas para formados em Engenharia Florestal, 10 vagas para formados em  Engenharia de Pesca, 35 vagas para formados em Medicina Veterinária e 10 vagas para  formados em Zootecnia, com a orientação dos residentes por professores da UEMA e da  UEMASUL. 

A residência terá duração de um ano, com carga horária de 1.920 horas, das quais 90% se destinam ao treinamento prático profissional supervisionado e 10% ao aprofundamento teórico, por meio de seminários e discussões técnicas, em regime de 40 horas semanais. Os residentes contarão, ainda, com uma bolsa mensal no valor mensal no valor de dois mil reais.