Suzano realiza ações e palestras voltadas ao empoderamento feminino para todos os colaboradores

Professoras, costureiras, funcionárias do comércio: essas eram algumas das profissões mais ocupadas pelas mulheres em 1970, quando elas começaram a entrar no mercado. Hoje, 50 anos depois, e após movimentos em busca dos direitos das mulheres, elas desafiam os estereótipos de gênero e ocupam cada vez mais funções que eram encaradas como majoritariamente masculinas.

Para incentivar a mudança da posição das mulheres no mercado, grandes instituições buscam formas de evoluir e fortalecer esse ideal, como a Suzano, que recentemente divulgou que uma de suas principais metas para os próximos 5 anos é contar com a participação de, pelo menos, 30% de mulheres em cargos de gestão na empresa. “Esse é um dos pilares que irá nortear a Suzano daqui pra frente. Nós reafirmamos nosso compromisso em alcançar um ambiente corporativo mais inclusivo, incentivando a representação feminina. Acreditamos fortemente no potencial da mulher para estar presente em qualquer área da empresa”, afirma Talita Sato, Gerente de Comunicação Corporativa da Suzano.

Exemplo de um cenário promissor, Tania Araújo, Operadora de Tubeteira, colaboradora da Suzano em Imperatriz há mais de dois anos, conta que a escolha da profissão partiu do seu interesse por algo diferente de tudo que já fez antes – mesmo que isso significasse encarar uma jornada considerada “masculina” por muitos. “O desconhecido me atraiu, a Suzano me presenteou com essa profissão, me concedeu mais qualidade de vida e me mostrou que com muito trabalho, força e dedicação podemos conquistar coisas que antes eram sonhos distantes.” aponta.

O mesmo sentimento de satisfação também é compartilhado por Camila Teixeira, Engenheira Florestal que atua na área há quase quatro anos.  Segundo ela, a engenharia foi um acaso do destino, mas foi durante a atuação na profissão que ela encontrou uma paixão.

Como mulher e engenheira, Camila observa o aumento da presença feminina nas ocupações que antes eram marcadas por homens e vê com otimismo o futuro das mulheres. “Mesmo que ainda seja de uma forma tímida, vejo muitas mulheres ganhando espaço dentro do setor florestal e eu acredito que nós temos um futuro brilhante pela frente, dentro da Suzano. Isso é muito positivo para cultivar a nossa motivação no dia a dia e desmistificar qualquer relação entre gênero com capacidade e competência”, finaliza.

Para comemorar e homenagear mulheres inspiradoras assim como a Tania e a Camila, nesta sexta-feira (6/03), a Suzano irá realizar um momento de roda de conversa com chá da tarde para todos os colaboradores sobre equidade de gênero, feminismo e carreira. A empreendedora e pesquisadora do projeto The Feminist Tea, Laís Trajano, vai conduzir o evento com uma palestra abordando temas pertinentes no que diz respeito à relação da sociedade atual e o papel da mulher. O The Feminist Tea foi criado para multiplicar o conhecimento sobre gênero e feminismo, seu maior objetivo é despertar outras mulheres e criar um círculo de sororidade.

Mais inclusão – Além de fortalecer a representatividade feminina na corporação, a Suzano também divulgou dentro do seu conjunto de metas, incluir uma estrutura física integralmente acessível, com ambiente 100% inclusivo para pessoas com deficiência e LGBTI+, e ausência de registros de situações de preconceito contra esses grupos. O acompanhamento em relação ao avanço dessas metas será permanente e transparente. A empresa também pretende contar com pelo menos 30% de negros em cargos de gestão até 2025.

 

Sobre a Suzano – A Suzano, empresa resultante da fusão entre a Suzano Papel e Celulose e a Fibria, tem o compromisso de ser referência global no uso sustentável de recursos naturais. Líder mundial na fabricação de celulose de eucalipto e uma das maiores fabricantes de papéis da América Latina, a companhia exporta para mais de 80 países e, a partir de seus produtos, está presente na vida de mais de 2 bilhões de pessoas. Com operações de dez fábricas, além da joint operation Veracel, possui capacidade instalada de 10,9 milhões de toneladas de celulose de mercado e 1,4 milhão de toneladas de papéis por ano. A Suzano tem mais de 35 mil colaboradores diretos e indiretos e investe há mais de 90 anos em soluções inovadoras a partir do plantio de eucalipto, as quais permitam a substituição de matérias-primas de origem fóssil por fontes de origem renovável. A companhia possui os mais elevados níveis de Governança Corporativa da B3, no Brasil, e da New York Stock Exchange (NYSE), nos Estados Unidos, mercados onde suas ações são negociadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.