Setor de energias renováveis cresce no NE; no Maranhão, área atraiu mais de R$ 310 mil em investimentos em 2023

A recente onda de calor que atingiu o Brasil e a chegada do verão, que começou em 22 de dezembro, vêm aumentando o consumo de energia elétrica no país. Em outubro, o Brasil bateu recorde no consumo de energia. De acordo com o Operador Nacional do Sistema (ONS), foram consumidos 45.920 GWh (gigawatt-hora) ao longo do mês, valor que representa alta de 8,1% em comparação com outubro de 2022 e é o maior da série histórica.

Na última década, a região Nordeste tornou-se um expoente na geração de energia via fontes renováveis. Em julho deste ano, houve um recorde na produção, com as eólicas produzindo 26,1% de toda a energia consumida no país, segundo dados da Associação Brasileira de Energia Eólica e Novas Tecnologias (ABEEólica).

Dessa forma, investir na produção e ampliação das fontes renováveis de energia é fundamental para o desenvolvimento econômico e social da região. De acordo com dados do Sicredi, instituição financeira cooperativa, no Maranhão foram concedidos, ao longo de 2023, cerca de R$ 310 mil em crédito para o financiamento de projetos envolvendo energias renováveis.

Esse crescimento de investimentos no setor no Nordeste é justificado: a região tem um dos maiores potenciais energéticos do país, produzindo 83% da energia solar e eólica do Brasil. No Maranhão, o Complexo Eólico Delta é um dos principais geradores de energia limpa da região.

A posição geográfica e clima estratégicos da região Nordeste abrem margem, entretanto, para um potencial de geração de energia ainda maior ao verificado atualmente – hoje, a região possui 28,3 gigawatts (GW) de capacidade instalada.

Crescimento do setor atrai investimentos

Essa potencialidade ainda inexplorada e a perspectiva de crescimento do setor vem chamando a atenção de governantes, empresas e investidores: recentemente, a região recebeu um investimento de R$300 milhões para a construção de 15 novas usinas fotovoltaicas, com previsão de entrega até o final de 2024.

Além disso, a expectativa é que, até 2038, apenas o setor de energia eólica deve gerar 1,1 milhão de empregos no país, conforme estudo apresentado no Fórum de Energias Renováveis em Natal, no Rio Grande do Norte.

Ciente dessa demanda e da necessidade de subsidiar projetos econômica e ambientalmente sustentáveis, o Sicredi aposta cada vez mais em iniciativas que promovam, desenvolvam ou se baseiam em fontes renováveis de energia.

Em todo o Nordeste, a carteira da cooperativa para financiamento de projetos desse tipo alcançou a marca de R$ 26,5 milhões em 2023.

“O Sicredi continua incentivando este tipo de financiamento, em conformidade com nossos princípios, nosso comprometimento de manter um crescimento econômico sustentável e nossa bandeira de defesa do meio ambiente”, diz Marcos Barbosa, Consultor de Negócios da Central Sicredi Nordeste.

Central Sicredi Nordeste – 30 anos

Neste ano de 2023, a Central Sicredi Nordeste completa 30 anos de atuação, auxiliando no cooperativismo financeiro das regiões e contribuindo com a economia local, geração de emprego e renda, inclusão e educação financeira e no desenvolvimento regional. A Central atende, suporta e apoia as cooperativas filiadas, que atualmente, no Nordeste, somam 145 agências do Sicredi e cerca de 210,8 mil associados entre os estados do Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia.