SESI e SENAI atendem desabrigados e desalojados em São Luís Gonzaga

– Com uma população em torno de 20 mil habitantes, o município de São Luís Gonzaga do Maranhão sofre com as chuvas que causaram inundação e está entre as mais de 60 cidades do estado que tiveram estado de emergência decretado. Já são mais de 1.400 famílias atingidas. O SESI e o SENAI se uniram em uma ação humanitária para atender a população do município com serviços médicos e produção de pães para doação, respectivamente.  

O coordenador municipal da Defesa Civil em São Luís Gonzaga do Maranhão, Biné Carvalho, informou que o município está sob alerta e que a previsão para os próximos 10 dias é de chuva de até 120 mm. “As consequências da enchente deste ano já ultrapassam as de 2009, até então considerada a maior. A nossa orientação é para que as pessoas não retornem para as casas que já foram inundadas”, alertou o coordenador.  

No município são mais de 1.400 famílias, o que totaliza quase 5 mil pessoas atingidas pelas fortes chuvas que, desde março, estão causando enchentes em bairros da zona rural e urbana da cidade. Ao todo, 13 abrigos estão funcionando em prédios públicos ou em residências com ocupação coletiva custeadas pelo aluguel social.  

A secretária de Assistência Social do município, Socorro Fernandes, falou que os atendimentos na área de saúde realizados pelo SESI Itinerante até esta quarta-feira foram essenciais para diminuir a demanda por especialistas na área de saúde que estava reprimida.   

Agentes comunitários de saúde e funcionários da assistência social realizaram busca ativa por desabrigados e desalojados para que fossem atendidos gratuitamente pelas equipes do SESI em serviços como odontologia, oftalmologia, clínica geral, pediatria, além de exames laboratoriais e eletrocardiograma, assim como oficinas de alimentação saudável.  

Dionísia Ferreira de Melo e Apoliana da Silva são lavradoras e estão em abrigos públicos porque suas casas foram inundadas. “Fiz uns exames do coração em maio do ano passado. Peguei receitas e até alguns medicamentos, mas não retornei ao médico”, disse Dionísia, que mostrou os exames para o médico do SESI Itinerante avaliar. Apoliana, mãe de quatro filhos, tem úlcera. “Eu me consultei e peguei encaminhamento para fazer outros exames”, disse a lavradora.  

Dionísia e Apoliana foram apenas duas das mais de 3.300 pessoas atendidas nos dois primeiros dias da ação, que já registrou mais de 5.400 atendimentos. Kesia Sarmanho, enfermeira que coordena esta edição do SESI Itinerante, antecipou que as equipes e unidades móveis estarão de 10 a 12 de abril em Lago da Pedra, no Centro Cultural Souzinha Catingueiro, com o objetivo de prioritariamente atender a população maranhense vítima das chuvas. 

“Com isso o SESI reforça a sua atuação social. Unimos esforços para atender quem mais precisa e para isso contamos com uma estrutura de unidades móveis e profissionais que levam ações de saúde, bem-estar e solidariedade a quem mais necessita”, frisou.  

Nesta edição do SESI Itinerante, que atende prioritariamente os municípios em situação de emergência, o SENAI se juntou ao SESI. Na unidade móvel de pacificação, a população participou de oficinas de pão francês. Ao final de cada dia, toda a produção de mais de três centenas de unidades é doada à comunidade juntamente com a sopa preparada pela equipe de Alimentação e Nutrição do SESI. No domingo, o diretor regional do SENAI, Raimundo Arruda, visitou São Luís Gonzaga, município no qual a entidade já atua em parceria com a prefeitura, para ver de perto a situação das áreas alagadas. 

O Sistema FIEMA (SESI, SENAI, FIEMA e CIEMA) também atua em outras frentes com o mesmo objetivo, a exemplo da Campanha “SOS Enchentes – Indústria Solidária”, que mobiliza empresas e cidadãos a doarem água engarrafada, cestas básicas e materiais de higiene e limpeza, entre outros itens, para as famílias em dificuldades.