SES promove 1º Encontro Estadual dos Serviços de Saúde Bucal

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) promoveu o 1º Encontro Estadual dos Serviços de Saúde Bucal. Durante o encontro, gestores públicos e profissionais de odontologia que atuam nas unidades do Sorrir, hospitais e de pronto atendimento (UPA) da rede estadual de saúde fizeram uma revisão dos principais êxitos e desafios com vista à avaliação dos serviços odontológicos prestados aos usuários.

“O encontro foi uma oportunidade de agregar conhecimento e chamar atenção para o processo de trabalho realizado pela SES. Fazer saúde pública de qualidade, principalmente a saúde bucal, não é fácil. Por isso é tão importante dialogarmos sobre o tema, visando as várias formas de como otimizar projetos e perspectivas frente aos recursos disponíveis, tendo como objetivo a qualidade de vida e o bem-estar das pessoas”, disse o secretário adjunto de Atenção à Saúde da SES, Carlos Vinícius Ribeiro. 

Dentre os principais pontos elencados durante o encontro, está o acompanhamento feito pela SES junto aos equipamentos estaduais que oferecem tratamento bucal pelo SUS. Nos últimos sete anos, a Rede Odontológica Estadual tem passado por um processo de ampliação tanto na oferta de especialidades, como também no processo de descentralização. 

A chefe do Departamento de Atenção às Unidades Odontológicas da SES, Anne Lorena Perez, destacou as ações futuras na rede odontológica estadual. “Aproveitamos para mostrar aos nossos colaboradores o que estamos planejando oferecer no próximo ano, tendo como base o fluxo de atendimentos atual e também os serviços realizados”, afirmou. 

Atualmente, a rede estadual oferece atendimento odontológico especializado, através da Central Estadual de Regulação, nas Unidades Sorrir instaladas em São Luís, Caxias e Presidente Dutra; no ambulatório localizado no Centro de Hematologia e Hemoterapia do Maranhão (Hemomar), destinado a pacientes hemofílicos; no Hospital Presidente Vargas, para pessoas que vivem com HIV/Aids; e Hospital Aquiles Lisboa, garantindo o acompanhamento a pessoas diagnosticadas com hanseníase.

Ainda na capital, os usuários do SUS são beneficiados com suporte em saúde bucal de urgência e emergência nas UPAs Araçagi e Cidade Operária, além de consultas nas Policlínicas Cidade Operária e do Idoso, no bairro da Liberdade, por meio do encaminhamento das Unidades Básicas de Saúde (UBS). No interior do estado, os hospitais regionais e macrorregionais para demandas cirúrgicas. 

De acordo com a cirurgiã bucomaxilofacial do Hospital Macrorregional de Presidente Dutra, Claudiana Vale, a expansão da rede odontológica transformou o município em um polo de saúde. “Anteriormente, 17 municípios eram beneficiados com o atendimento odontológico. Hoje, conseguimos atender 60 cidades e suas populações. Fora isso, melhoramos também na assistência multiprofissional, impactando na diminuição do tempo cirúrgico, internação e também nas transferências de uma unidade para outra”, contou. 

A diretora clínica da Unidade Sorrir da Praia Grande, Priscila Pantoja, destacou a importância de dialogar sobre saúde bucal com outros gestores e profissionais. “A Sorrir é referência em atendimento de média complexidade, com aproximadamente quatro mil atendimentos por mês. Portanto, é necessário acontecer essa troca de informações para continuarmos o processo de expansão. Hoje somos modelo para estados como Mato Grosso e Pará”, compartilhou.