Seinc entrega resultados das Escutas Empresariais em São Luís

Geração de emprego e renda e melhoria da qualidade de vida dos maranhenses: este é o principal objetivo do projeto ‘Escutas Empresariais para a competitividade do Maranhão’, projeto criado pelo governo do Maranhão e realizado pela Secretaria de Estado da Indústria e Comércio (Seinc), para a atualização do Plano Plurianual da Secretaria para o período de 2023 a 2027. Depois de passar pelos municípios de Caxias, Presidente Dutra, Balsas, Imperatriz e Pinheiro, a nova etapa das Escutas Empresariais foi realizada em São Luís na sexta-feira (16), no auditório do Palácio dos Leões, e contou com a presença de representantes de entidades empresariais e empresários.

Representando o governador Carlos Brandão, o secretário-chefe da Casa Civil, Sebastião Madeira, destacou que o governo tem ouvido a população e também a classe empresarial e os empreendedores. “Com as escutas empresariais, fomos em várias cidades, como Imperatriz, Balsas, dentre outras, sob a coordenação do secretário Cassiano, da Seinc, preparar um projeto de governo, onde o Estado possa ser parceiro, de fato, colocando o ombro, apoiando todas as iniciativas que venham melhorar o Maranhão. O governador Brandão vai continuar ampliando a rede de proteção social já iniciada, mas ele também tem a exata dimensão que a redução da pobreza definitiva é através da produção de riqueza, da geração de renda e de emprego”, explicou Madeira.

Já o secretário de Estado da Indústria e Comércio, Cassiano Pereira Junior, contou que o projeto das escutas está direcionando as ações da Seinc, do governo Carlos Brandão, para atender as demandas do empresariado. “Nós passamos por seis regiões, conversando diretamente com a classe empresarial, com o apoio de diversas entidades de classe, onde eu aproveito para agradecer, se predispondo a dizer o que estão precisando. E com base nesse material coletado, nós transformamos em programas que já começaram a balizar as ações da Seinc. Essa é a diretriz do governador Carlos Brandão: fazer um governo junto com o empresariado, de mão dadas, somando forças para desenvolver ainda mais o Maranhão”, enfatizou Cassiano Pereira.

As oficinas do projeto tiveram expressiva representatividade, onde participaram ativamente entidades empresariais, bancos e cooperativas de crédito, universidades, empresários, dentre outros. Das seis regiões que receberam o projeto, cerca de 200 participantes contribuíram com mais de 950 sugestões, compiladas em aproximadamente 250 ações, gerando seis programas – um por pilar, somando 25 projetos.

Após a consolidação dos resultados coletados nas oficinas do projeto (ocorridas em agosto e setembro deste ano), a etapa das entregas, que foi iniciada em novembro, foca na devolutiva dos dados e das informações coletadas. Entre os pilares estratégicos do projeto, estiveram: Educação para o Trabalho, Infraestrutura, Tecnologia, Incentivo aos Negócios e Desenvolvimento Empresarial.

Considerado um marco inédito por empresários e entidades maranhenses, as escutas buscam acentuar a preocupação do Estado com os municípios e as regiões, ouvindo e dando retorno das demandas da classe empresarial, para viabilizar o crescimento econômico e social no Maranhão e um plano de ação alinhado às demandas dos próprios empresários, com informações coletadas diretamente nas diversas regiões e realidades do território maranhense.

A proposta do encontro visa, também, apresentar os projetos para o Ciclo Virtuoso para a Competitividade do Estado do Maranhão, com observação da aplicação prática no curto e médio prazo. Yuri Russo, empresário do ramo de energia solar, contou que participou da oficina das Escutas Empresariais de São Luís, e que é muito gratificante ter recebido um resultado tão satisfatório, que poderá, de fato, colaborar com sua atividade. “O Governo se prontificou em nos ouvir, mas também nos mostrar o que está acontecendo hoje com alguns negócios no Maranhão, onde podemos moldar as nossas empresas e crescer ainda mais”, explicou. 

Além do governo do Maranhão, diversos representantes de entidades e órgãos estiveram presentes, como a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (Fiema), Federação das Associações Empresariais do Maranhão (Faem), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Maranhão (Faema), Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Maranhão (FCDL), Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Maranhão (Fecomércio-MA), Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-MA), Associação Comercial do Maranhão (ACM), Associação dos Jovens Empresários (AJE-MA), dentre outras. 

De acordo com o resultado consolidado no projeto, a avaliação da iniciativa é de aproximar, de forma significativa, a administração pública do empresariado, criando o compromisso mútuo de melhoria do ambiente de negócios do estado e dos indicadores de qualidade de vida, suscitando um movimento pelo empreendedorismo e inovação. O levantamento revelou, ainda, uma natural vocação da Seinc de promotora da articulação entre entidades empresariais, ensino, empresariado e demais públicos focados no desenvolvimento do Maranhão.

A implementação, pelo governo do Estado, dos programas, projetos e ações propostas pela Seinc, formuladas a partir das oficinas das Escutas Empresariais, proporcionará maior competitividade ao Maranhão, dando impulso à economia. Avanços na educação voltada ao trabalho, na infraestrutura e na gestão empresarial; a atualização tecnológica de empresas e serviços do governo e a ampliação dos incentivos aos negócios propostos no projeto, estimularão a melhor utilização das cadeias produtivas do estado, suas vocações e potencialidades, patrocinando assim a geração de emprego e renda. 

A etapa de entrega das Escutas Empresariais foi encerrada com a edição em São Luís, onde, após a análise das sugestões coletadas pela B2HR Pessoas & Estratégias, consultoria contratada para a formulação do projeto, as proposições resultantes serão integradas ao Plano Plurianual da Seinc, para o período de 2023 a 2027.