Saiba como escolher o animal ideal para o seu perfil

Escolher um animal de estimação não é uma tarefa tão simples. É preciso levar em conta vários fatores para que o tutor não se arrependa e para que o animal não sofra. Animais não são brinquedos, mesmo os mais quietos e introvertidos precisam de muito cuidado e  dedicação, além dos gastos com alimentação e veterinário. 

Para escolher o animal de estimação ideal ao seu perfil é necessário levar em consideração a sua personalidade e hábitos de vida, como explica a veterinária do PetMania, Jayanna Maia.

“Geralmente tutores de gato são pessoas mais sozinhas, mais reservadas, um pouco mais introvertida. Os tutores de cães são geralmente mais famílias, pessoas mais extrovertidas. Temos que levar em consideração também o dia a dia da pessoa. Tutores que vivem só geralmente não criam cães, por que o animal precisa de companhia, não pode ficar sozinho durante muitas horas, precisa ter uma rotina de trocar água e ração. Cão também demanda muita atenção, um pouco diferente da maioria dos gatos, que se você deixar água e ração à disposição eles ficam sozinhos por mais tempo. Os gatos não são tão carentes de atenção como são os cães”, relata a veterinária.

Outro fator que deve ser levado em conta na hora da escolha é perceber o local, dependendo do tipo de moradia é possível escolher melhor qual o porte e a raça do animal para criar. “Pessoas solteiras, que moram em apartamentos podem optar mais por gatos. Geralmente famílias, que têm casas, com varanda, com quintal escolhem cães”, orienta Jayanna.

Paulo Lucena mora com os pais e um gato chamado Gutinho, a escolha por adotar o animal foi muito bem pensada e levando em consideração a experiência que a família teve com outros animais.

“A gente sempre criou gatos, somos pessoas muito reservadas e a casa é pequena. Já tentamos cuidar de um cachorro, ganhei da minha madrinha, mas ele ficou muito grande e a casa era pequena, ele era um cachorro muito forte, eu não conseguia andar na rua com ele, ele ficava muito preso e acabou morrendo. Depois disso passamos anos sem ter um animal, aí decidimos ter um gato, estávamos planejando uma adoção responsável, quando minha mãe viu um cachorro atacando um filhote de gato na rua, ela resgatou ele, cuidamos dos ferimentos, castramos ele e já estamos com ele a nove anos, o Gutinho é um animal muito independente, quase não dá trabalho e é uma ótima companhia”, garante Paulo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.