Sabores nas férias: especialista dá dicas de lanches saudáveis para as crianças 

E se as férias da criançada pudessem ser recheadas de sabores deliciosos sem deixar o saudável de lado? Adicionar cores, texturas e surpreender no visual dos pratos ao mesmo tempo em que garante os nutrientes essenciais para o crescimento dos pequenos pode ser um desafio e tanto para os pais, especialmente neste momento de descanso. Então, que tal contar com a participação das crianças na hora de preparar os lanches, combinando diversão e saúde? Para ajudar nessa missão, um especialista no assunto reuniu algumas dicas valiosas. 

Pensar em opções simples, mas com garantia de um bom sabor, é a primeira dica do nutricionista do Grupo Mateus, Jean Miranda. “Um sanduíche com algum tipo de recheio que a criança possa ajudar a produzir é uma ótima ideia. Um picolé de frutas que ajuda a amenizar o calor também é uma escolha legal… São coisas simples de preparar e que fazem a diferença para o período”, afirma. 

E as altas temperaturas podem mesmo refletir na hora de preparar os lanches das crianças. A melancia, por exemplo, é uma ótima opção para os pais que planejam uma ida à praia e não sabem o que levar para o lanche dos filhos. “Essa é uma fruta que ajuda a hidratar, então, é uma ótima opção. E se a ideia for um lanche para uma tarde em casa, que tal juntar todas as frutas e fazer uma salada de frutas? É uma opção cheia de nutrientes e que as crianças adoram”, destaca o nutricionista.

Para os pequenos nordestinos, a tapioca pode ser um sucesso à mesa. Uma opção rápida, prática e que pode contar com o auxílio das crianças na separação dos ingredientes, por exemplo. “É possível recheá-la de diversas formas diferentes, incluindo recheios salgados (queijo, frango desfiado, carne moída, peito de peru, etc) e doces (doce de leite, chocolate, leite condensado, etc). É claro que, a opção pelo recheio doce deve ser sempre com moderação. Nada de exageros!”, lembra Jean. 

Almoço e jantar… e agora? 

A dica é priorizar alimentos que vêm da terra para o prato, como as frutas, verduras e hortaliças, além das oleaginosas incluindo fontes de proteínas em quantidade suficiente. “Leguminosas como feijões, proteínas de origem animal como a carne, frango, peixe, ovo e laticínios. Os pais podem, inclusive, aproveitar que os filhos estão em casa para introduzir algum alimento novo na alimentação”, finaliza o profissional.