Projetos maranhenses selecionados pelo Inova Amazônia 2023 — Módulo Tração são apresentados

A falta de recursos foi um dos fatores para que a startup do maranhense Kunta Kintê Feitosa, iniciada em 2019 na capital São Luís, parasse suas operações. O empreendimento só foi retomado no ano passado, após ser contemplado pelo módulo de Tração do Inova Amazônia, programa do Sebrae que acelera negócios da bioeconomia atuantes na Amazônia Legal.

“Só conseguimos voltar por conta do apoio da bolsa, que foi o que viabilizou continuarmos pesquisando, e, principalmente, pelas mentorias. Essas mentorias oferecidas é que nos dão norte, porque temos uma boa ideia, mas sem expertise acabamos nos perdendo e a ideia morre pelo caminho. Agora sabemos como manter, perpetuar e ampliar essa nossa ideia”, garante o empreendedor.

Kunta é CEO da Toxic Free Agroecológicos, startup que pretende democratizar a alimentação saudável através da certificação de produtos cultivados sem agrotóxicos pela agricultura familiar. Ele explica que os alimentos agroecológicos são tão saudáveis quanto os orgânicos, mas, diferentemente desses, possuem um custo menor de produção, que é repassado ao consumidor.

A empresa está entre os 20 negócios maranhenses selecionados pelo Inova Amazônia 2023 — Módulo Tração que apresentaram projeto nesta terça-feira (5), durante cerimônia do programa, realizada no Sebraelab, em São Luís. Durante seis meses, os empreendedores participam de capacitações, mentorias individuais e são incluídos em atividades que proporcionam a criação de redes de conexão importantes para o desenvolvimento dos negócios.

“Resultados do ciclo passado comprovam o sucesso do programa. Das 172 empresas participantes do ciclo anterior em todo o país, 90% desenvolveram novos produtos, 62% obtiveram aumento em seu faturamento, 56% ampliaram suas equipes e 31% iniciaram a internacionalização”, destaca o presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae no Maranhão, Celso Gonçalo.

Para Nordman Wall, presidente da Fundação de Amparo à Pesquisa e Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Maranhão (Fapema), instituição parceira na execução do programa, o Inova eleva o nível dos negócios da bioeconomia no Maranhão. “A Amazônia é rica, e a pesquisa, através da Fapema, e o empreendedorismo, pelo Sebrae, estão juntos nessa”, afirma o dirigente.

A pesquisa é fundamental para a inovação no negócio de Carolina Frota, outra empreendedora contemplada pelo Inova Amazônia. A empresária é CEO da Sintropia, marca de cosméticos naturais que valoriza a matéria-prima dos biomas do Maranhão. “Estamos investindo em tecnologia de nanoativos aplicados nas nossas fórmulas cosméticas para alcançar alta performance”, conta.