Projeto “Sem Migué” busca voluntários para fact-checking em São Luís

Usar a internet para espalhar mentiras se tornou uma prática recorrente com técnicas cada vez mais sofisticadas nos últimos anos. Tanto que palavras como pós-verdade, fake news e desinformação já fazem parte do vocabulário de muita gente, deixando clara a necessidade de desenvolver habilidades para distinguir o que é confiável do que é falso em meio à abundância de informações disponíveis. Esse é o ponto de partida do projeto Sem Migué, uma plataforma experimental de fact-checking colaborativo, que está recrutando voluntários para uma fase de testes durante as eleições municipais de São Luís.

As inscrições vão até o dia 2 de outubro, pela internet (clique aqui). Qualquer pessoa com acesso a internet e vontade de contribuir no combate à desinformação pode participar. O termo fact-checking pode ser traduzido como “checagem de fatos” e tem sido utilizado para descrever um tipo de reportagem jornalística focada em verificar, com o auxílio de fontes confiáveis, a veracidade de discursos de políticos e autoridades, além de informações que circulam pela internet. O Sem Migué parte da ideia de que é preciso disseminar essa prática para todos – jornalistas ou não – como uma forma de ampliar o alcance do conteúdo verificado e reduzir os danos das informações falsas.

Os voluntários vão receber treinamento sobre a metodologia de checagem antes de terem seu próprio perfil na plataforma e receberem permissão para publicar contribuições nos fóruns de verificação on-line. Além de disseminar para mais pessoas a prática da checagem de fatos, a ideia também é mostrar como uma multiplicidade de vozes podem verificar um mesmo fato de formas distintas. Com isso, a expectativa é despertar o senso crítico dos voluntários e do público visitante, num ambiente de transparência onde não haverá anonimato e todos serão orientados a inserir os links de suas fontes.

A iniciativa faz parte de um projeto de pesquisa realizado por Jorge Martins, aluno do Mestrado Profissional em Comunicação da Universidade Federal do Maranhão (UFMA). O modelo proposto permanecerá em processo de construção e aperfeiçoamento contínuos ao longo das eleições, contando sempre com a colaboração da comunidade de checadores voluntários – que serão os cofundadores desse modelo inovador de checagem de fatos.

O site já pode ser acessado no endereço: https://bit.ly/SemMigueSLZ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.