Prevenção: Vigilância Sanitária reforça ações de fiscalização e orientação em comércios

Por conta do aumento de casos do novo coronavírus (Covid-19) no Maranhão, a Secretaria de Estado da Saúde (SES), por meio da Superintendência de Vigilância Sanitária (Suvisa), segue fortalecendo as ações de fiscalização e orientação em estabelecimentos comerciais. A medida está sendo executada de forma pedagógica e em cumprimento às normas técnicas e decretos publicados em combate à pandemia. Nesta semana, as ações se concentram em academias, escolas e lojas.

“As ações têm o objetivo de fortalecer a presença das equipes de fiscalização nas ruas, devido ao cenário de pandemia. Isso requer que tenhamos um maior controle dos protocolos sanitários, orientando o setor empresarial, visando à manutenção das atividades produtivas e, ainda, contribuir para a preservação da saúde dos trabalhadores e frequentadores dos espaços”, ressalta o superintendente de Vigilância Sanitária, Edmilson Diniz.

A cada visita realizada pelos agentes sanitários é deixado no estabelecimento um Termo de Fiscalização e, dependendo da situação em que se encontre no local, um Termo de Intimação ou Auto de Infração para dar início ao processo administrativo sanitário. Segundo o último Boletim Informativo emitido, já foram realizadas 5.065 ações para apuração de denúncias de riscos e agravos, bem como inspeções a instalações.

Desde março do ano passado, a Suvisa executou 3.988 fiscalizações de estabelecimentos e produtos sanitários; 910 blitz para cumprimento dos decretos estaduais, as quais contaram com a parceria da Polícia Militar e Procon-MA; outras 121 barreiras sanitárias no Aeroporto Internacional Marechal Cunha Machado, em São Luís; e 46 barreiras sanitárias de trânsito em pontos estratégicos da região metropolitana.

Para o proprietário de uma academia de dança, Geovanio Araújo, a presença dos fiscais sanitários é positiva. “É uma iniciativa muito positiva e eu fico feliz de ver o poder público atuando, pois é algo que irá ajudar a preservar a nossa saúde. Por conta da pandemia, aumentamos a frequência na limpeza para três vezes ao dia, compra de máscaras para deixar disponível aos frequentadores, além de uma nova rotina que evita mais de um casal por aula”, destacou.