Plenário faz minuto de silêncio em memória das mais de 100 mil vítimas da Covid-19 no Brasil

O Plenário da Assembleia Legislativa do Maranhão fez um minuto de silêncio, na sessão desta terça-feira (11), em memória das mais de 100 mil vítimas da Covid-19 no Brasil. A solicitação foi feita pelo deputado Zé Inácio (PT), que, em seu discurso na tribuna, lamentou as mortes por coronavírus e destacou que o Brasil foi o segundo país a registrar essa triste marca. 

Segundo levantamento do consórcio de veículos de imprensa, a partir de dados das secretarias estaduais de Saúde, o Brasil tem 101.936 mortes por Covid-19 confirmadas até a manhã desta terça-feira, com 3.056.312 casos da doença. 

“O Brasil é o segundo país do mundo a atingir essa triste marca. Hoje, nós já temos mais de 101 mil mortes e mais de 3 milhões de infectados. São números que chamam a atenção de todos nós, brasileiros. O coronavírus no Brasil já matou mais do que a gripe espanhola, mais do que a guerra do Paraguai e mais do que a guerra do Vietnã, que é considerada uma das guerras que mais marcou a história mundial. Em dez anos de guerra, no Vietnã, morreram 59 mil pessoas e, no Brasil, em apenas cinco meses, são mais de 100 mil brasileiros mortos, entre homens, mulheres, jovens, crianças e idosos”, frisou o deputado Zé Inácio. 

O parlamentar reconheceu, ainda, o papel que o Sistema Único de Saúde (SUS) teve no combate à pandemia, garantindo que muitas vidas fossem salvas. Zé Inácio também atribuiu o elevado número de mortes à postura do presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, que, segundo ele, “ao não reconhecer a dimensão da pandemia, não tomou as medidas necessárias para o efetivo enfrentamento da Covid-19”. 

“A sua posição negacionista, de não tratar a coisa da forma como os órgãos e as instituições de saúde no mundo, como a OMS, recomendavam, além do mais, promover aglomerações, mostrou que o presidente não tinha nenhum pouco de preocupação e responsabilidade no enfrentamento dessa pandemia. E o resultado está aí: uma tragédia do tamanho do desgoverno do presidente Jair Bolsonaro. Esse é um momento de se lamentar, pois nem sequer os recursos públicos que o Congresso Nacional aprovou, na ordem de R$ 39 bilhões para o combate ao coronavírus, não foram aplicados sequer 30%”, disse. 

Luto oficial 

No último domingo (9), o chefe do Legislativo Estadual, deputado Othelino Neto (PCdoB), decretou luto oficial de três dias no Parlamento maranhense, em razão das 100 mil vidas brasileiras perdidas durante a pandemia. O presidente da Assembleia se solidarizou com as famílias que perderam seus entes para a doença e lamentou a triste marca alcançada no último fim de semana. 

Durante a sessão, Othelino complementou a fala do deputado Zé Inácio destacando que o Brasil e os Estados Unidos são os dois países que mais registraram mortes por coronavírus e, coincidentemente, possuem presidentes da República negacionistas. “E, infelizmente, quem acaba pagando por isso são milhares de famílias, que perdem entes queridos, pessoas que perdem amigos, em razão da postura pouco responsável de negar algo que é óbvio e que a Ciência está mostrando. Os países que atenderam às orientações da Ciência e da Medicina conseguiram superar mais rapidamente a pandemia”, ressaltou. 

O chefe do Legislativo também fez menção ao papel fundamental exercido pelos governadores no enfretamento à pandemia. “Ainda bem que boa parte dos governadores cumpriu com seu dever e bancou, em muitos casos tendo que recorrer ao Supremo Tribunal Federal, para garantir o poder dos Estados de impor normas restritivas e fazer valer as medidas de isolamento social”, concluiu. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.