Giro de Noticias

MPMA participa de mobilização contra o trabalho infantil

Durante toda a manhã desta quarta-feira, 12, na praça Deodoro, no Centro de São Luís, o Ministério Público do Maranhão participou das atividades da mobilização alusiva ao Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, celebrado nesta data.

O MPMA integrou o evento instalando o trailer de atendimento da instituição em frente à Biblioteca Benedito Leite. Do Ministério Público, participaram da ação o Centro de Apoio Operacional da Infância e Juventude (CAO-IJ), a Ouvidoria e a 1ª Promotoria Distrital da Cidadania – polo Centro.

Organizado pela Secretaria Municipal da Criança e Assistência Social, em parceria com outros órgãos e instituições, a atividade reuniu crianças e adolescentes de escolas públicas, gestores e autoridades. Várias atividades culturais foram apresentadas no local, incluindo grupos de dança, números mambembes, peças teatrais e manifestações de cultura popular.

Para o coordenador do CAO-IJ, Gleudson Malheiros, a mobilização é uma oportunidade de conscientizar a população sobre o problema. “Hoje é um dia de mobilizar toda a sociedade contra o trabalho infantil. As crianças precisam estar na escola, precisam ter uma infância digna e não exercer trabalho precoce”, enfatizou.

O representante do MPMA acrescentou que existem formas amparadas por lei de inserir adolescentes no mercado de trabalho, por meio da aprendizagem. “Essa é a forma mais adequada e segura de o adolescente ingressar no mercado de trabalho”.  

A ouvidora do MPMA, Sandra Elouf, enfatizou que a presença do MPMA na atividade é mais uma forma de aproximar a instituição da população. “Estamos nesta ação prestando, com outros colegas, um serviço de cidadania. A praça está lotada de crianças e adolescentes e nós estamos aqui para somar e reforçar o trabalho do Ministério Público”.

Titular da 1ª Promotoria Distrital da Cidadania – polo Centro, Marco Aurélio Ramos Fonseca, lembrou que o Ministério Público da atualidade é fruto das mudanças democráticas que foram implementadas no país desde a Constituição de 1988. “A defesa dos direitos fundamentais, incluindo os das crianças e adolescentes e de outros segmentos, é atribuição da nossa instituição. A mobilização é importante porque mostra a sociedade defendendo a sua própria perpetuação. Afinal, as crianças são o presente e o futuro promissor do nosso povo”, afirmou.