MPMA e CNMP incentivam uso de Sinalid

Para incentivar o uso do Sistema Nacional de Localização e Identificação de Desaparecidos (Sinalid) no contexto atual da pandemia de Covid-19, o Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP), por meio de sua Comissão de Direitos Fundamentais (CDDF), está realizando uma campanha junto aos Ministérios Públicos estaduais.

O objetivo é estimular as secretarias de Saúde municipais e estaduais a utilizarem o Sinalid por intermédio do Plid (Programa de Localização e Identificação de Desaparecidos) dos seus respectivos estados, promovendo a inserção de dados de pessoa não identificada durante o período de internação ou que porventura vier a óbito, no curso da pandemia do novo Coronavírus.

Sinalid

O Sinalid foi instituído por meio do acordo de cooperação celebrado entre o CNMP e o Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), em 24 de agosto de 2017. Desde 13 de novembro de 2017, o Ministério Público do Maranhão aderiu ao sistema.

Gerido pela Comissão de Defesa dos Direitos Fundamentais e integrado por milhares de usuários do Ministério Público, da segurança pública, da assistência social, da saúde e de organizações não governamentais, até junho de 2020 o Sinalid já atuou com êxito em 10.082 casos de desaparecimento (com a localização efetiva da pessoa declarada desaparecida ou com a constatação de sua localização pelos familiares, após o registro do seu desaparecimento no sistema).

Acesso

Para poder colaborar com o sistema e verificar a possibilidade de concessão de credencial de acesso, devem ser contatados os Ministérios Públicos estaduais, que administram os Plid’s. No caso do MPMA, o contato pode ser iniciado com a Ouvidoria.

Para os agentes credenciados nos Plid’s, o Sinalid pode ser acessado a partir de qualquer estação computacional, tablet ou smartphone conectado à rede mundial de computadores, por meio do endereço https://apps.mprj.mp.br/sinalid.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.