Imperatriz-MA recebe exposição “Hacklab Volante” dias 01 e 02/10

Depois de passar por São Luís (14 a 23/09) e Arari (25 a 28/09) o Hacklab Volante segue para o último destino do Maranhão, a cidade Imperatriz, onde ficará aberto à visitação nos dias 01/10 (Lagoa da Beira Rio, de 16 às 22h) e 02/10 (Praça Brasil, de 14 às 20h). O micro-ônibus adaptado mistura ateliê, oficina, galeria de arte, museu de engenhocas e feira de ciências itinerante e é patrocinado pelo Instituto Cultural Vale, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura. O público poderá visitá-lo gratuitamente, interagindo com seu acervo de arte multimídia e gambiarras.

As visitas são guiadas por monitores que apresentam os conceitos científicos e artísticos das obras. Elas duram em torno de 10 minutos e são feitas em grupos de 6 a 8 pessoas. A exposição conta com quase 20 obras de nove artistas, como o próprio Fred Paulino, artista visual e curador, além de idealizador do projeto; os também mineiros Marcelo Kraiser e Sara Lana; o paulista Arthur Joly; e o argentino Jorge Crowe, entre outros (veja lista completa no final).

Além das obras em exposição, o projeto leva conteúdos educativos, experiências eletrônicas, incentivo ao uso de fontes de energia sustentável e demonstrações de funcionamento de materiais eletroeletrônicos e manejo de ferramentas.

Também fazem parte do Hacklab Volante os “Businhos”, oficinas de iniciação à eletrônica e ao design de produtos. Em Imperatriz, os “Businhos” acontecerão em euma scola da rede municipal de ensino e no Centro Cultural Tatajuba. A metodologia adotada estimula a criatividade e o espírito inventivo dos participantes, com construção e customização de um adereço em formato de ônibus, contendo LED’s pisca-pisca e componentes eletrônicos.

E atenção: o próximo destino do Hacklab Volante é o estado do Pará, onde o micro-ônibus visitará cinco cidades entre outubro e novembro.

Sobre o Instituto Cultural Vale

O Instituto Cultural Vale parte do princípio de que viver a cultura possibilita às pessoas ampliarem sua visão de mundo e criarem novas perspectivas de futuro. Tem um importante papel na transformação social e busca democratizar o acesso, fomentar a arte, a cultura, o conhecimento e a difusão de diversas expressões artísticas do nosso país, ao mesmo tempo em que contribui para o fortalecimento da economia criativa. Nos anos 2020-2022, o Instituto Cultural Vale patrocinou mais de 600 projetos em mais de 24 estados e no Distrito Federal. Dentre eles, uma rede de espaços culturais próprios, patrocinados via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com visitação gratuita, identidade e vocação únicas: Memorial Minas Gerais Vale (MG), Museu Vale (ES), Centro Cultural Vale Maranhão (MA) e Casa da Cultura de Canaã dos Carajás (PA). Onde tem Cultura, a Vale está. Visite o site do Instituto Cultural Vale. 

Sobre o Hacklab Volante

O Hacklab Volante é um laboratório que leva a espaços públicos atividades de formação em arte e tecnologia, combinadas de modo a incentivar a sustentabilidade ambiental e econômica. Ele parte de conceitos do movimento Gambiologia, que se inspira na gambiarra para aplicação na arte contemporânea, um dos fundamentos do movimento. Fred Paulino, coordenador geral e pedagógico do projeto, explica que ele se propõe a “discutir a tecnologia como ferramenta de transformação social, estimular o pensamento crítico e promover acesso e melhor compreensão do público em geral ao universo eletrônico”.

O veículo é uma escultura eletrônica ambulante com estética nada minimalista, que chama atenção com sua sinalização artística diferenciada. Nele, habitam obras interativas, esculturas mecânicas, jogos eletrônicos, energia solar, sintetizadores, arte sonora, engenhocas e “o menor cinema do mundo”, uma cabine de exibição para apenas duas pessoas.

O ônibus-ateliê-galeria vai cruzar as fronteiras de Minas Gerais pela primeira vez. Até dezembro, ele vai passar pelo Maranhão (São Luís, Arari e Imperatriz e) e Pará (Belém, Marabá, Canaã dos Carajás, Parauapebas e Tucumã) antes de retornar a Belo Horizonte. A estimativa de público é de quase dez mil pessoas, entre visitantes, alunos e professores atendidos pelo projeto.

Fred Paulino comemora a circulação em outros estados e o consequente aumento do público atendido. “Isso acaba consolidando nossa maneira de trabalhar. Sempre foi um desafio para nós ampliar a escala de atendimento, mantendo o formato presencial. Temos uma longa trajetória de oficinas de formação, sempre mais direcionadas a públicos menores. Agora estamos conseguindo alcançar essa forma de democratização. Pela primeira vez vamos atingir um número tão grande de pessoas em um projeto com viés educativo”, afirma.

O projeto Hacklab Volante é uma realização do Gambiologia, Ministério da Cultura e Instituto Cultural Vale, viabilizado por meio da Lei de Incentivo à Cultura.

GAMBIOLOGIA

Completando 15 anos de existência, o projeto Gambiologia começou como uma campanha, consolidou-se como coletivo e evoluiu para uma plataforma aberta de investigação criativa e conceitual. Arte, educação, tecnologia, design, experimentação, sustentabilidade e reaproveitamento de materiais se combinam no conceito e na prática da gambiarra.

A proposta é pesquisar, adaptar, improvisar e combinar elementos na criação de objetos, engenhocas e artefatos que transitam entre o eletrônico, o decorativo, o funcional e o artístico. Os resultados podem ser obras de arte ou peças utilitárias. Em gambiologia, o que importa é inventar, resgatar objetos descartados e descobrir, de forma criativa e inusitada, novas funções e maneiras de utilizá-los.

Fred Paulino – Coordenador geral e pedagógico

Mentor do projeto Gambiologia. Artista, designer, curador e pesquisador, com foco nas relações entre arte, tecnologia, política e cultura popular. Coordena e participa desde a década de 1990 de iniciativas na área criativa, como Estúdio Mosquito, Osso Design e Graffiti Research Lab Brasil. Participou como artista convidado, palestrante e oficineiro de dezenas de eventos de arte e tecnologia no Brasil, África do Sul, Áustria, Chile, Colômbia, Estados Unidos, França e Japão. Desde 2008, organiza e integra exposições, publicações, consultorias e atividades educacionais. Idealizou e organizou projetos como a “Facta – Revista de Gambiologia”, as exposições “Gambiólogos – A Gambiarra nos Tempos do Digital” e “Maquinações – Artistas, Máquinas e a Invenção do Cotidiano” e “Favela Hacklab”. Transformou a ciência da gambiarra em projeto social.

OBRAS/ARTISTAS PARTICIPANTES

1- Quadro Gambiológico Sequencial – colagem eletrônica (Fred Paulino, 2023)

2- Menor Cinema do Mundo – técnicas variadas (Autoria coletiva, 2022)

3- Máquina de Hipnose – colagem eletrônica (Fred Paulino, 2020)

4- Cromotópio – marcenaria/mecânica (Daniel Herthel, 2022)

5- Ludotecnia – sintetizador digital (Jorge Crowe, 2018)

6- Genius Gigante – jogo eletrônico (Fred Paulino e Maurício Jabur, 2022)

7- Máquina de Trotes – eletrônica antropológica (Sara Lana,2023)

8- Lavanda – sintetizador analógico (Marcelo Kraiser, 2023)

9- Máquina de Ritmos – sintetizador analógico (Marcelo Kraiser, 2023)

10- Reco Synth – sintetizador analógico (Arthur Joly, 2022)

11- Grilo Solar – escultura eletrônica (Paulo Nenflídio, 2019)

12- Realejo eletrônico – escultura eletrônica interativa (Paulo Nenflídio, 2022)

13- Brain Machine – objeto vestível interativo (Maurício Jabur, 2022)

14- Circuit Bending Pezinho – circuit bending (Fred Paulino, 2012)

15- Atari Punk Console Goiabada – sintetizador analógico (Fred Paulino, 2010)

16- Manual interativo de ferramentas (Fred Paulino e Sandro Miccoli, 2023)

17- Máquina de Raio-X – objeto vestível interativo (Juliana Porfírio, 2023)

Foto: Luiza Fernandes