Hospital Macrorregional de Santa Inês completa cinco anos e registra mais de 3 milhões de atendimentos

O Governo do Estado contabilizou, no período de cinco anos, 3.651.152 atendimentos no Hospital Macrorregional Tomás Martins, em Santa Inês. Referência para 19 municípios da região do Vale do Pindaré, a unidade de saúde atende casos de alta e média complexidade. Nesta semana, na quarta-feira (25), o hospital completou cinco anos de funcionamento e assistência aos moradores da região e comemorou o anúncio de investimentos na unidade para a implantação de uma ala destinada ao atendimento materno-infantil. 

Além de Santa Inês, a unidade é referência para as regiões de Zé Doca e Pindaré, que compreendem cerca de 160 mil pessoas. Desde 2016, quando foi entregue pela gestão do governador Flávio Dino, a unidade oferece procedimentos oftalmológicos, cirurgias gerais, consultas multidisciplinares, consultas gerais, internações, procedimentos de enfermagem e Serviço de Apoio Diagnóstico Terapêutico.

“Quando pensamos em investir na unidade de saúde há cinco anos já sabíamos o quanto a região estava precisando de assistência. Hoje, comprovamos que foi e tem sido acertada a estratégia de descentralizar o atendimento aos maranhenses que não estão na capital. Esse é um dos grandes diferenciais desta gestão”, ressalta o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

A diretora administrativa do Macrorregional Tomás Martins, Jardene Carvalho, enfatizou o empenho para prestar uma assistência que atenda às necessidades da população. “Tenho visto diariamente o esforço de cada pessoa que integra o Hospital Tomás Martins. É importante destacar o apoio da Secretaria de Estado da Saúde e do Instituto Acqua, que sempre oferecem instrumentos para que possamos, acima de tudo, oferecer um serviço de qualidade e humanizado para nossa população”, afirmou.

A qualidade do atendimento é comprovada pelos pacientes. “Os enfermeiros cuidaram muito bem de mim. Todos me trataram com carinho”, contou Félix Martins, 72 anos, morador de Santa Luzia do Paruá, após passar por um procedimento cirúrgico no hospital.

Novo investimento

Ainda neste semestre, o Hospital Macrorregional de Santa Inês passará a contar com leitos destinados à maternidade e com foco em boas práticas de assistência à saúde. As ações incluem uso de quartos privativos, métodos não-farmacológicos de alívio da dor, técnicas de relaxamento e presença de acompanhante, seguindo o que determina as orientações do Ministério da Saúde.

Analamacia Brito, enfermeira obstetra e responsável técnica do Instituto Acqua, destacou a importância do novo serviço. “Estamos em processo de implantação da maternidade. O novo serviço será humanizado e estaremos trazendo experiências já consolidadas pelo Instituto Acqua em parceria com a SES para a região do Vale do Pindaré. As gestantes e puérperas que serão atendidas no Macrorregional Tomás Martins irão vivenciar experiências positivas. Além deste salto na prestação do serviço, é um momento de agradecer a cada colaborador pela doação em cuidar das pessoas”, concluiu.

O Instituto Acqua mantém a gestão da unidade em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES).