.

Fórum de São Bernardo divulga agenda de julgamentos de outubro

O Poder Judiciário de São Bernardo divulgou agenda de sessões do Tribunal do Júri a ser realizada na comarca no mês de outubro. De acordo com as informações, serão dois júris, marcados para as datas de 14 e 18 de outubro, a saber, tendo como réus Edilmar Viana Tomaz e Adriano da Silva, respectivamente. As sessões devem ocorrer no Salão do Júri do Fórum e serão presididas pela juíza Lyanne Pompeu, titular de São Bernardo. Na primeira sessão, o réu será Edilmar Viana Tomaz, acusado de prática de crime de homicídio que teve como vítima Fernando Ferreira da Silva.

Narra a denúncia do caso que, em 4 de outubro de 2012, a polícia recebeu a informação de que Fernando Ferreira estava jogando pedras em um veículo que fazia propaganda sonora, além de ameaçar as pessoas que tentavam impedi-lo. Segue relatando que, antes de se dirigirem ao local, os policiais militares foram até a Delegacia e pediram auxílio ao policial civil Daniel, que os acompanhou, levando consigo os carcereiros Francisco e Edilmar Tomaz. Chegando ao local, avistaram a vítima portando um facão nas mãos, tentaram imobilizá-la, mas Fernando conseguiu se soltar e começou a arremessar pedras na direção dos policiais, atingindo a cabeça do Sargento Albeci. 

Ato contínuo, o sargento disparou, acertando a perna da vítima. Mesmo ferido, Fernando teria continuado a jogar pedras contra os policiais. Em seguida, a vítima correu para dentro de casa e trancou a porta, segurando-se por dentro. Algumas pessoas, entre as quais Edilmar, que estava armado, forçaram a porta, com chutes e empurrões. Quando conseguiu arrombar a porta, Edilmar teria desferido um tiro em Fernando. Mesmo atingida, a vítima abrigou-se no interior de seu quarto, tendo sido seguida pelo acusado, que, após arrombar a porta, efetuou mais três disparos contra Fernando. Ele faleceu em decorrência dos disparos. Edilmar respondeu ao processo em liberdade.

SEGUNDO JÚRI

A segunda sessão, marcada para o dia 18 de outubro, trará como réu Adriano da Silva, denunciado sob acusação de ter matado Emanoel Divino Barroso da Silva, em 23 de março de 2016. Destacou a denúncia deste caso que, na data citada, no Morro da Arábia, em São Bernardo, Adriano teria ceifado a vida de Emanoel, quando este retornava para casa na companhia da esposa e duas filhas menores. Para realizar o intento, Adriano teria efetuado seis tiros e mais golpes de faca. Narrou a denúncia que a vítima já havia relatado à sua companheira Ana Cleia que estava sofrendo ameaças de morte, e que o denunciado havia sido contratado para lhe executar.

Segue relatando que, no dia dos fatos, a vítima foi abordada por Adriano, perguntou-lhe se teria uma arma de fogo para vender. Horas mais tarde, a vítima foi procurada novamente pelo denunciado. Na segunda abordagem, a testemunha Ana Cleia estava presente, tendo Adriano indagado novamente Emanoel Divino acerca da arma de fogo. A testemunha Ana Cleia relata que naquele momento o esposo disse falsamente ao algoz que teria uma arma de fogo, mas que a usava apenas para sua defesa pessoal, como uma forma de intimidar o denunciado.

 Na sequência, a vítima, junto com a família, foi a uma atividade de lazer e quando retornava para casa foi abordada pelo denunciado, que se aproximou proferindo a seguinte frase: “Olha aqui Divino o que eu tenho pra ti!”. Em ato contínuo, sacou uma pistola prateada e efetuou seis disparos com a arma de fogo. Ele ainda se aproximou da vítima que estava caída, sacou a faca e desferiu três facadas em seu rosto, fugindo em seguida. Adriano encontra-se em lugar incerto e não sabido.