Exposições comemoram os cinco anos do Centro Cultural do MPMA

A exposição de pintura “Caçador de Mim”, do artista plástico Éder Luna, e a de escultura “IBI/AYE – Lugar/Existência”, de autoria de Jean Charles, serão abertas nesta terça-feira, 5, às 16h30, no Espaço de Artes Ilzé Cordeiro, no Centro Cultural e Administrativo do Ministério Público do Maranhão, como parte da programação de aniversário dos cinco anos do espaço.  As mostras ficarão em cartaz no local até o dia 30 de janeiro de 2024.

Na ocasião também haverá apresentações musicais e a entrega do certificado Amigo do Centro Cultural a pessoas que contribuíram e participaram das programações do estabelecimento.

A exposição “Caçador de Mim” de Éder Luna é a primeira individual do artista. A mostra é composta de 19 quadros, nas técnicas pintura sobre tela e sobre papel. Já “IBI/AYE – Lugar/Existência”, de Jean Charles, apresenta 22 trabalhos, entre esculturas e máscaras, sendo oito módulos e 14 penduráveis.

Nessa mostra, Jean Charles busca referências afro-ancestrais, refletindo o lugar (IBI) e a existência (AYE) como conscientização ambiental, traduzindo em cores e formas escultóricas a necessidade de preservação da natureza e do cultivo da espiritualidade.

OS ARTISTAS

O artista visual autodidata Éder Luna é natural da cidade de Pedreiras. Ele é graduado em História pela Universidade Estadual do Maranhão (UEMA) e pós-graduado em História da África e do Maranhão pelo Instituto de Estudos Superiores do Maranhão (Iesma). Atualmente é educador/historiador no programa do Cursinho DeBoas, projeto de extensão universitária da UEMA.

Suas obras são realizadas em diferentes suportes: pedras seixo, papéis, telas e painéis de azulejos. O artista já participou de algumas exposições coletivas na Galeria Trapiche.

Por sua vez, Jean Charles Ribeiro Chagas nasceu em São Luís, em um dos bairros mais tradicionais da capital, a Fé em Deus, onde, desde a infância, começou a ter contato com expressões da cultura popular do Maranhão como o bumba-meu-boi, a Festa do Divino Espírito Santo, e manifestações do carnaval de rua.

Na adolescência, iniciou o seu contato com o artesanato popular, tendo, posteriormente, começado a trabalhar com cerâmica.

Em 1998, Jean Charles ingressou no mundo das artes por meio das exposições coletivas e concursos realizados pelo Centro de Cultura Popular Domingos Vieira Filho, Universidade Federal do Maranhão e Fundação Municipal de Cultura.

Suas obras foram expostas em outros estados do Brasil (Santa Catarina, São Paulo, Bahia, Rio de Janeiro e Distrito Federal) e em diversos países (Argentina, Chile, México, Uruguai, França, Holanda, Itália e Espanha).