MPMA e UEMA promovem ações para a consolidação do Projeto Café Sustentável

O Ministério Público do Maranhão e a Assessoria de Gestão Ambiental da Universidade Estadual do Maranhão (AGA) realizarão, entre os meses de setembro e dezembro, um processo de capacitação para servidores e membros do MPMA sobre educação ambiental e agroecologia. A medida tem o objetivo de consolidar o Projeto Café Sustentável, promovendo a conscientização referente à reutilização e compostagem da borra de café, tendo em vista a redução dos impactos ambientais.

As capacitações serão feitas por meio de duas palestras sobre o Plano Estadual de Educação Ambiental do Estado do Maranhão e Educação e Sustentabilidade; assim como a realização de quatro oficinas referentes a compostagem, reuso da borra de café, horta em casa e produção de mudas.

A equipe técnica será composta por alunos e professores do curso de Agronomia da UEMA, integrantes da AGA e servidores do MPMA que atuam no Projeto Integrar. A decisão sobre realização presencial, à distância ou híbrida das palestras e oficinas será determinada de acordo com as normas sanitárias vigentes no Maranhão.

O Projeto Café sustentável é uma iniciativa da UEMA, sendo desenvolvido pelo MPMA desde o segundo semestre de 2019. O projeto consiste no reaproveitamento da borra de café, que seria descartada no meio ambiente, para a produção de produtos como sabonetes e esfoliantes. Também é um meio utilizado para a fertilização do solo.

Termo de cooperação técnica

O objetivo é destinar um espaço para a realização de atividades educativas e recreativas, visando, assim, a incorporação dos princípios ecológicos e da educação ambiental.

Em 21 de setembro, o MPMA e a UEMA firmarão um termo de cooperação técnica para a implantação e consolidação do projeto do café sustentável:  unidade de compostagem com a utilização da borra de café, capacitação através de cursos e palestras, produção e distribuição de mudas e implantação da trilha ecológica.

A trilha no MPMA será um espaço educativo, de forma circular, e para caminhadas leves e autoguiadas. O percurso será definido após a avaliação do local e dos recursos naturais.

Também estão previstas medidas para o desenvolvimento do plantio de árvores na PGJ. A UEMA, por meio da professora e orientadora do projeto, Ariadne Enes Rocha, destinou algumas mudas de plantas ao Ministério Público, são elas: bordão velho, aroeira, ipês, nim, sapoti, pau brasil, jabuticaba, pitanga, oiti, bacuri pari rugoso, bacuri pari liso e acerola.

O plantio foi realizado na última sexta-feira, 21, por membros do MPMA, alunos da UEMA e a professora Ariadne.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.