.

Exposição traz acervo que apresenta a diversidade do Patrimônio Imaterial Brasileiro

Conhecer um pouco mais de perto o que o Brasil tem de mais valioso quando o assunto são bens culturais. Esta é a proposta da “Manifestações Culturais do Brasil – A Celebração Viva da Cultura dos Povos”, que chega a São Luís a partir do dia 1º de dezembro, na Casa do Maranhão (Centro Histórico de São Luís). A abertura será às 18h, com apresentação do tambor-de-crioula Turma dos Crioulos. A entrada é gratuita.  

Trata-se de uma exposição interativa, que apresenta os 52 bens culturais registrados como patrimônio cultural Imaterial brasileiro pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). A exposição, que é produzida pela carioca LP Arte, com apoio da Secretaria de Estado de Cultura, e tem curadoria do historiador Luciano Figueiredo e direção de arte de Ronald Teixeira, chega à capital maranhense no mês em que são comemorados os 25 anos de reconhecimento de São Luís como Patrimônio Cultural Mundial pela Unesco. Também em dezembro são celebrados três anos de reconhecimento do Complexo Cultural do Bumba-Meu-Boi como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

O centro histórico foi escolhido como local da mostra por reunir e celebrar o acervo arquitetônico que integra o patrimônio mundial e, também, por ser ponto de encontro de diferentes manifestações populares que fazem parte da vida cultural da cidade. “No dia 6 de dezembro, São Luís completa 25 anos de reconhecimento como Patrimônio Cultural Mundial pela Unesco. Nada mais adequado para a cidade que respira cultura e história que receber uma exposição com a reunião de todo o patrimônio do Brasil, possibilitando um despertar das novas gerações para a importância do reconhecimento e da preservação desses bens”, destacou o curador Luciano Figueiredo.

Além do bumba-meu-boi do Maranhão, foram declarados Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade pela Unesco também: o Samba de Roda do Recôncavo Baiano; a Arte Kusiwa – pintura corporal e arte gráfica Wajãpi; Frevo; Círio de Nossa Senhora de Nazaré e a Roda de Capoeira. 

Todo o conteúdo da Mostra “Manifestações Culturais do Brasil – A Celebração Viva da Cultura dos Povos” é apresentado ao público através de fotos, vídeos, objetos de museus, sons e um rico acervo composto por peças de colecionadores e artesãos, em ambientes ricamente cenografados e com textos didáticos (em português, inglês e espanhol), que permitem a compreensão do público sobre a importância desses bens para a cultura brasileira.

A Casa do Maranhão receberá uma cenografia festiva, que convida o público para este mergulho cultural num Brasil vibrante e múltiplo. Uma verdadeira viagem e imersão pelo país, sem sair de São Luís. “Esta é uma possibilidade de apresentar ao público do Maranhão toda a diversidade da cultura brasileira, por meio de um acervo composto por mais de 800 peças, fotos, vídeos e experiências interativas sobre as manifestações culturais que acontecem de Norte a Sul do país. Por reunir tanta riqueza em único espaço e dada a importância de se conhecer, valorizar, preservar e se reconhecer nestas tantas expressões culturais, vamos permanecer em temporada com exposição até o mês de março de 2023, na Casa do Maranhão”, destacou Luiz Prado, idealizador e coordenador de produção.

Dentro das atividades da exposição, está um projeto educativo com foco em ampliar a percepção de crianças e jovens sobre o universo do patrimônio cultural. As atividades contemplam transporte gratuito para alunos de escolas públicas, produção de cartilhas educativas, material didático para sensibilização de professores, além de uma equipe de monitoria preparada para realizar ações de interatividade com o público visitante, principalmente estudantes.

Entre os bens imateriais registrados no Brasil, em âmbito nacional, fazem parte da Mostra o Ofício das Baianas de Acarajé, o Ofício dos Mestres de Capoeira e a Roda de Capoeira. Regionalmente (NE), o Teatro de Bonecos do Nordeste, a Literatura de Cordel, Matrizes Tradicionais do Forró, o Repente, Fandango Caiçara, Modo de fazer Viola de Cocho, Jongo do Sudeste, Saberes e práticas associadas ao Modo de Fazer Bonecas Karajá e Ritxókò: expressão artística e cosmológica do Povo Karajá. Do Maranhão, o Complexo Cultural do Bumba-meu-Boi do Maranhão e o Tambor de Crioula (veja lista completa, por região e por estado, ao fim do texto).

O que é Patrimônio Cultural Imaterial

Durante mais de 20 anos, o Iphan tem registrado patrimônios imateriais brasileiros. O conceito estabelecido pelos artigos 215 e 1216 da Constituição Federal de 1988, é composto por bens de natureza material e imaterial, incluídos os modos de criar, fazer e viver dos grupos formadores da sociedade brasileira. Os bens culturais de natureza imaterial dizem respeito àquelas práticas e domínios da vida social que se manifestam em saberes, ofícios e modos de fazer; celebrações; formas de expressão cênicas, plásticas, musicais ou lúdicas e nos lugares, tais como mercados, feiras e santuários que abrigam práticas culturais coletivas. 

A definição se alinha à Convenção da Unesco para a Salvaguarda do Patrimônio Cultural Imaterial, ratificada pelo Brasil em 1° de março de 2006, e define como patrimônio imaterial “as práticas, representações, expressões, conhecimentos e técnicas – junto com os instrumentos, objetos, artefatos e lugares culturais que lhes são associados – que as comunidades, os grupos e, em alguns casos, os indivíduos reconhecem como parte integrante de seu patrimônio cultural”.

O QUE É PATRIMÔNIO PELO BRASIL

BRASIL

Ofício das Baianas de Acarajé

Roda de Capoeira

Ofício dos Mestres de Capoeira

(Bens culturais reconhecidos como Patrimônio Cultural do Brasil e que aparecem em todo o território nacional).

REGIÃO NORTE

Amapá

Arte Kusiwa

Marabaixo

Amazonas

Cachoeira de Iauaretê

Sistema Agrícola Tradicional do Rio Negro

Complexo Cultural do Boi Bumbá do Médio Amazonas e Parintins

Pará

Círio de Nossa Senhora de Nazaré

Festividades do Glorioso São Sebastião na região do Marajó

Carimbó

Modo de fazer Cuias do Baixo Amazonas

Tocantins

Saberes e Práticas associados ao modo de fazer bonecas Karajá

Ritxókò – Expressão artística e cosmológica do povo Karajá

REGIÃO CENTRO-OESTE

Distrito Federal

Literatura de Cordel

Teatro de Bonecos popular do nordeste

Matrizes Tradicionais do forró

Repente

Goiás

Festa do Divino Espírito Santo de Pirenópolis

Romária de Carros de Bois da festa do divino pai eterno de Trindades

Saberes e práticas associados ao modo de fazer bonecas Karajá

Ritxókò – Expressão artística e cosmológica do povo Karajá

Mato Grosso

Modo de fazer viola de cocho

Ritual Yaokwa do povo Indígena Enawene Nawe

Saberes e práticas associados ao modo de fazer bonecas Karajá

Ritxókò – Expressão artística e cosmológica do povo Karajá

Mato Grosso do Sul

Modo de fazer viola de cocho

Banho de São João de Corumbá e Ladário

REGIÃO NORDESTE

Alagoas

Ciranda do Nordeste

Teatro de bonecos popular do Nordeste

Literatura de Cordel

Matrizes Tradicionais do Forró

Repente

Bahia

Festa do Senhor do Bom Jesus do Bonfim

Samba de roda do recôncavo Baiano

Bembé do Mercado

Literatura de Cordel
Matrizes Tradicionais do Forró

Ceará

Festa do Pau da Bandeira de Santo Antônio de Barbalha

Literatura de Cordel

Teatro de Bonecos Popular do Nordeste

Matrizes Tradicionais do Forró

Repente

Maranhão

Complexo Cultural do Bumba meu boi do Maranhão

Tambor de Crioula do Maranhão

Literatura de Cordel

Matrizes Tradicionais do Forró

Repente

Paraíba

Feria de Campina Grande

Literatura de Cordel

Ciranda do Nordeste

Teatro de Bonecos popular do Nordeste

Matrizes Tradicionais do Forró

Repente

Pernambuco

Feira de Caruaru

Frevo

Maracatu de Baque Solto

Maracatu Nação

Cavalo-Marinho

Caboclinho

Matrizes Tradicionais do Forró

Ciranda do Nordeste

Repente

Literatura de Cordel

Teatro de Bonecos Popular do Nordeste

Piauí

Produção tradicional e práticas socioculturais associadas à cajuína no Piauí

Literatura de Cordel

Matrizes tradicionais do forró

Repente

Rio Grande do Norte

Festa de Sant’Ana de Caiocó

Literatura de Cordel

Teatro de bonecos popular do Nordeste
Matrizes tradicionais do forró

Repente


Sergipe

Modo de fazer renda irlandesa

Literatura de Cordel

Matrizes do Forró

Repente

REGIÃO SUDESTE

Espírito Santo

Jongo do sudeste

Ofício das paneleiras de Goiabeiras
Matrizes do Forró

Minas Gerais

Modo artesanal de fazer queijo de minas, nas regiões do Serro e das Serras da Canastra e do Salitre

Toque dos Sinos em Minas Gerais

Ofício dos sineiros

Jongo do Sudeste

Rio de Janeiro

Festa do Divino de Paraty

Matrizes do Samba do Rio de Janeiro

Jongo do sudeste

Literatura de Cordel

Matrizes tradicionais do Forró

Repente

São Paulo

Fandango Caiçara

Sistema Agrícola tradicional de comunidades Quilombolas do Vale do Ribeira

Jongo do Sudeste

Literatura de Cordel

Matrizes tradicionais do Forró

Repente

REGIÃO SUL

Paraná

Fandango Caiçara

Literatura de cordel

Santa Catarina

Procissão do Senhor dos Passos de Santa Catarina

Rio Grande do Sul

Tava, Lugar de referência para o povo Guarani

Tradições Doceiras da região de Pelotas e antiga Pelotas

FICHA TÉCNICA

Idealização e Coordenação Geral: Luiz Prado

Curadoria: Luciano Figueiredo

Direção de Arte e Cenografia: Ronald Teixeira

Design de Luz: Adriana Milhomem/ Luz em Formas

Pesquisa e conteúdo – Cartilha educativa: Deborah Gouthier e Fernanda Pereira

Assessoria de imprensa: MW Assessoria & Comunicação

Produção: LP Arte Soluções Culturais (www.lparte.com.br)