Dia Mundial Sem Carne: Pandemia trouxe hábitos mais saudáveis para alguns brasileiros

A busca por uma vida mais saudável é uma preocupação cada vez mais frequente entre os brasileiros. Em estudo realizado pelo Núcleo de Pesquisas Epidemiológicas em Nutrição e Saúde da USP, aponta que a mudança de hábito em virtude da busca por uma alimentação saudável teve aumento de 40% para 44,6% durante a pandemia. Além de incluir nas refeições diárias mais frutas, verduras e legumes, a diminuição do consumo de carne de origem animal também é benéfico para a saúde.

No dia 20 de março é celebrado o Dia Mundial Sem Carne, data que visa conscientizar as pessoas sobre os impactos negativos que uma dieta com proteína animal causa ao meio ambiente. “Sabemos que, para quem tem o costume, parar de consumir carne de origem animal de um dia para o outro, pode ser difícil. Por isso, sugerimos ir reduzindo o consumo aos poucos para a eliminação completa ou para limitar a ingestão por um ou dois dias na semana”, sugere a engenheira de alimentos Erika de Almeida. 

É esse o pensamento da designer Ana Lesniowski, que decidiu há poucos meses reduzir o consumo de carne animal. “Minha principal motivação foi a preocupação com o meio ambiente e a sustentabilidade. Estou reduzindo lentamente durante as refeições da semana até me adaptar. Sinto que estou fazendo a minha parte”, comenta.

Adotar uma dieta de base vegetal traz inúmeros benefícios para a saúde. Uma pesquisa do The Good Food Institute Brasil (GFI), em conjunto com o Ibope, mostra que o mercado plant-based passou de tendência à realidade no Brasil: metade dos brasileiros reduziu o consumo de carne nos últimos 12 meses de pandemia. Um cardápio com menor quantidade de carne vermelha contribui com o meio ambiente e gera impacto positivo no corpo humano.

Segundo a analista de Pesquisa e Desenvolvimento da Jasmine Alimentos, indústria especializada em alimentos saudáveis no Brasil, “uma dieta com substitutos traz outros benefícios, como a prevenção e o controle da diabetes. Existem estudos que comprovam que vegetarianos têm metade do risco de desenvolver a doença”. Outro fator, segundo Erika, é que o consumo excessivo de carne vermelha traz riscos de doenças cardiovasculares. “Já a redução da proteína traz longevidade”, aponta. 

Em 2020, a empresa paranaense lançou o Vegetal Burger, com ingredientes nutritivos e práticos para o dia a dia. Sem adição de itens de origem animal, o produto é o resultado da combinação de nutrientes essenciais para o bom funcionamento do intestino, contribuindo para o equilíbrio e a saúde do corpo. “Além dos benefícios à saúde e à natureza, o Vegetal Burger é mais prático e rápido de preparar que uma carne de origem animal. Basta misturar em um copo de água, modelar e em seguida está pronto para cocção. Pode ser usado para preparar hambúrgueres, almôndegas e quibes”, exemplifica.