.

Dependência química foi tema de evento realizado na PGJ

Foi realizado, no último sábado, dia 23, no auditório da Procuradoria-Geral de Justiça, o evento científico da Associação Brasileira de Estudos sobre Álcool e outras Drogas (Abead), com o tema “Dependência química: um hiperfoco nas famílias”.

O evento teve o apoio do Instituto Ruy Palhano e do Ministério Público do Maranhão, por meio do Centro de Apoio Operacional dos Direitos Humanos e Cidadania (CAO-DH).

O auditório ficou repleto de profissionais da saúde e de representantes de igrejas e de grupos de mútua ajuda, como Amor Exigente e Al-Anon do Brasil.

Como palestrantes, moderadores e representantes de instituições participaram a promotora de justiça Cristiane Lago (coordenadora do CAO-DH, que representou o Ministério Público Estadual); Raphael Mestres (psicólogo – PR); Alessandra Diehl (psiquiatra e presidente da Abead); Kamyla Fortaleza (terapeuta ocupacional e coordenadora técnica do Instituto Ruy Palhano – MA); Raquel Constantino (psicóloga – RJ); Glenda Suellen (psicóloga – MA); Bruno Palhano (psiquiatra e diretor médico do Instituto Ruy Palhano); e Ruy Palhano (psiquiatra e presidente do Instituto que leva o seu nome).

Ao se manifestar, a promotora de justiça Cristiane Lago, que representou o procurador-geral de justiça, Eduardo Nicolau, destacou a importância do seminário da Abead, cujo enfoque foi o papel das famílias, e fez um breve resumo do trabalho do Ministério Público na área de prevenção ao uso indevido de drogas. Discorreu sobre o projeto institucional “Quem escolhe o seu caminho: você ou as drogas”, que em 2022 completa 10 anos.

Cristiane Lago ressaltou que o Centro de Apoio Operacional de Direitos Humanos e Cidadania tem participado de muitos fóruns sociais sobre drogas e contribuído para a implementação da respectiva política pública no Estado e nos municípios maranhenses.