.

Defensor da causa ambiental, Francisco Chaguinhas apresentou projeto de lei que institui o Programa Vigilante do Meio Ambiente

Preservar o meio ambiente é uma medida que envolve vida e saúde. O meio ambiente, para ser preservado, necessita da contribuição da sociedade. Para isso, o povo precisa colocar sua educação em atividade. Mas, não é isso que se vê nas ruas, avenidas, praças, terrenos e calçadas das cidades. Na maioria das zonas urbanas, o desrespeito ao meio ambiente é muito grande.

É pensando na preservação e proteção do meio ambiente, que o vereador de São Luís, Francisco Chaguinhas (Podemos) levanta essa bandeira há décadas, bem antes de ser eleito vereador da capital maranhense. E essa luta não ficou somente no discurso. Há 4 anos, ele realiza mutirões de limpeza no bairro do São Cristóvão, conscientizando a população e ajudando a sociedade a ter mais saúde e qualidade de vida.

Prova da luta do vereador Francisco Chaguinhas em defesa do meio ambiente, foi o projeto de lei N° 191/2019 aprovado pela Câmara Municipal de São Luís, que institui em caráter permanente no âmbito do Executivo Municipal, o Programa Vigilante do Meio Ambiente, que será desenvolvido em parceria com instituições de ensino e pessoas jurídicas de direito privado, mediante convênios.

O programa tem o objetivo de incentivar a preservação do meio ambiente ecologicamente equilibrado, conscientizar a sociedade sobre a melhoria da qualidade de vida da cidade, preservar a diversidade arbórea de praças, áreas de lazer e vias públicas, além de identificar atividades públicas ou privadas que degradarem o meio ambiente na capital.

“Infelizmente, existe uma parcela da população que insiste em sujar, poluir e degradar o meio ambiente, mesmo sabendo dos prejuízos que isso pode causar. Uma cidade suja atrai insetos, entope bueiros, causa alagamentos e, consequentemente, gera doenças. Se a consciência fosse usada pelo cidadão como combustível para promover a educação ambiental, nossa cidade seria mais limpa e bela”, concluiu Francisco Chaguinhas.