Daniel Blume lançará o livro delações em evento literário online internacional

Vem aí Delações…. Nova obra poética do advogado e procurador do Estado do Maranhão Daniel Blume, que é também um aclamado escritor traduzido para o espanhol, o francês e o italiano além de ser titular da cadeira n. 15 da Academia Ludovicense de Letras.

Essa obra vem completar o acervo da brilhante poesia de Blume, que já publicou anteriormente os livros de poemas Inicial, Penal e Resposta ao Terno. Para manter-se em sintonia com os tempos atuais que pedem isolamento social, Blume trocará as tradicionais e bem prestigiadas noites de autógrafos que sempre marcaram os lançamentos de seus livros, por um programa literário à altura, e não menos interessante.

O autor convida a todos para a Live de Lançamento do livro Delações, que será realizada no dia 13 de agosto às 18H no Brasil e com transmissão simultânea para Portugal (22H) e Suíça (23H) e contará com mediação de Jannini Rosa. Em suma, entra em cena um evento literário online que promete ser muito rico em reflexões poéticas. Pois como disse o poeta Nauro Machado, citado pelo autor na abertura livro “Ser poeta é duro e dura. E consome toda uma existência”.  Essa frase bem define a labuta literária de Blume, que não se relaciona com a escrita poética como mero passatempo, mas sim como necessidade vital de sua existência reflexiva. Para acompanhar a Live, basta acessar os perfis do Instagram do autor @danielblume_ ou da editora @helvetia_editions.

Filho da escritora e imortal Sonia Almeida, Daniel Blume vai mais uma vez surpreender e prender seus leitores com a nova obra Delações, dividida em quatro capítulos temáticos: Delações de Poetas; Delações de Personagens, Delações de Lugares e Delações de Corpos. Como resume a editora Helvetia “a obra com seus versos calibrados, curtos e contundentes não apenas delata, mas surpreende, a cada página, quando nos faz refletir, sorrir, viajar”…

E como descreve o também poeta e jornalista Félix Alberto Lima, esse novo livro Daniel Blume “tem asas, bossas, bagagens e expõe um poeta agora sentado no mundo. O chão da aldeia, os personagens desnudos, os corpos cambaleantes, a tinta dos bardos e as paisagens possíveis formam esse caleidoscópio fronteiriço na obra do autor”. E no prefácio da obra, ele vai além e adianta: “não espere aqui um poeta de terno e gravata com o meticuloso hábito de escrever versos nos finais de tarde, depois do expediente. Blume desata de vez o nó da circunspecção e joga-se por inteiro na desordem da poesia, como o intrépido equilibrista de um circo sem lona, sem redes de proteção”, escreveu Félix Alberto.

O Livro já está disponível nas plataformas do Kindle, Amazon e site da editora Helvetia, além das livrarias do Advogado e Amei para venda. Daniel Blume faz da sua labuta poética um propósito de vida, ressignificando a jornada terrena e driblando a dureza da vida com poesia, como sugere no verso Aceno: “ A minha estrada passa por várias pedras, enquanto jogo versos pelo caminho” .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.