Crimes violentos reduzem na Grande São Luís nos cinco primeiros meses do ano

Diminuíram em 8% as ocorrências de homicídios, na Região Metropolitana de São Luís. Os dados correspondem aos meses de janeiro a maio de 2021, no comparativo com o mesmo período de 2020. Divulgados nesta terça-feira (1º), pela Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP), os números mostram que têm surtido efeito positivo as estratégias do sistema de segurança para combate e prevenção à criminalidade. 

Em 2021, o sistema registrou 112 casos de homicídios; enquanto em 2020, essas ocorrências totalizaram 122. Os homicídios estão incluídos no conjunto de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLIs), junto com as lesões corporais graves e os latrocínios (roubo seguido de morte). Os CVLIs apresentaram leve redução. Em 2020, somaram 126 casos contra 125 em 2021.

Nos últimos seis anos, os números dos CVLIs, no período de janeiro a maio, mostram queda consecutiva. Das 369 ocorrências registradas em 2015, comparando aos 125 casos em 2021, a redução é de 66%. A estatística aponta nos demais anos 317 casos (2016), 265 (2017), 160 casos (2018), 124 casos (2019) e em 2020, somaram 126.

Outro dado relevante é a posição do Maranhão no ranking da violência no país, que inclui os 26 estados mais o Distrito Federal. O Maranhão é o 12º na lista do Monitor da Violência, mapa estatístico da criminalidade, que avalia o índice de violência por 100 mil habitantes, cujo levantamento é realizado pelo site G1.

O titular da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), delegado Lúcio Reis, enfatiza que mesmo com todas as restrições e dificuldades impostas pelo cenário de pandemia da Covid-19, o sistema de segurança e, em especial, os grupamentos policiais, não pararam de atuar. “O trabalho da SHPP foca no combate ao crime organizado, na prisão de lideranças destes grupos e no monitoramento regular da ação dos criminosos, para interceptar e evitar que cometam o ilícito”, reforça.

Plano de ação

A queda destas ocorrências é reflexo de medidas adotadas pela Segurança Pública, que incluem operações periódicas e ação conjunta das Polícias Civil e Militar; criação da Força Estadual Integrada de Segurança Pública (FEISP), em março, para atuar nesta área de crime; e o aumento do efetivo da Superintendência de Homicídios e Proteção à Pessoa (SHPP), que agilizou e qualificou a investigação. 

Operações periódicas são realizadas também pela Polícia Militar, em todos os pontos da Ilha, sob coordenação do Comando de Policiamento Metropolitano de Área (CPAMs) – Norte, Sul, Leste e Oeste – e têm resultado em prisões, principalmente de membros de facções e homicidas. A Polícia Militar atua ainda nas operações Fecha Quartel, Catraca, Saturação, Cerco Total e outras, tendo como atividades incursões nos bairros, coletivos e avenidas de grande fluxo, somando para a redução dos índices de criminalidade.

O superintendente da SHPP, Lúcio Reis, destaca o profissionalismo e formação dos investigadores, peritos e demais policiais que vão a campo, nas ocorrências destes crimes violentos. “Nossas equipes são treinadas, equipadas e especializadas para essa finalidade. E com o trabalho em conjunto, temos conseguido alcançar bons resultados na redução da criminalidade e violência. Os números mostram estes bons resultados”, enfatiza o delegado.