Com carne mais cara, o consumo de peixes torna-se opção mais rentável pelo alto valor nutricional

Além de economizar no mercado, a substituição da carne vermelha é uma oportunidade para conhecer as vantagens oferecidas por outros tipos de proteína animal, uma vez que o valor nutricional do peixe mostra benefício para o custo na dieta saudável dos brasileiros. 

Para Gentil Linhares Filho, diretor comercial da Bomar Pescados, muitas pessoas evitavam o peixe por conta do preparo mais complexo. No entanto, com o aumento no preço da carne, os consumidores começaram a se esforçar e perceberam que esse pescado é uma grande fonte de gordura boa, com proteína, vitaminas e minerais, além de contribuir na prevenção de doenças.

“Os peixes são excelentes opções de proteína que ajudam a tornar a refeição altamente nutritiva. E é um prato que os brasileiros gostam bastante. Neste primeiro trimestre de 2021, a Bomar Pescados, por exemplo, registrou aumento de 25% na venda de pescados em comparação ao mesmo período de 2020, reflexo do aumento no consumo doméstico devido à pandemia”, afirma Gentil Linhares Filho.

Sem a previsão de uma baixa no preço da carne vermelha, o brasileiro teve de encontrar alternativas para substituir a proteína. O consumo de pescado no Brasil foi de 10,19 kg/per capita/ano em 2020, de acordo com informações divulgadas pelo site Seafood Brasil. 

“O consumo de mais peixes dentro das refeições dos brasileiros, deve seguir como tendência pelos próximos anos, fidelizando ainda mais o público com este tipo de proteína. É um produto que permite diversas formas de preparo, extremamente versátil e muito saboroso”, destaca Gentil Linhares Filho.