Auxílio emergencial deve ser pago por todos os bancos

O SEEB-MA cobra providências urgentes do Governo Bolsonaro e do Banco Central para que toda a rede bancária, pública e privada, passe a realizar o pagamento do auxílio emergencial para os trabalhadores afetados pela pandemia do coronavírus. Para o presidente do SEEB-MA, Eloy Natan, é uma irresponsabilidade do governo centralizar o atendimento aos beneficiários da renda básica apenas nas agências da Caixa.
“Mais uma vez, Bolsonaro coloca a população e a categoria em risco com mais uma medida impensada, que tem gerado aglomerações e filas nas portas do banco, contribuindo, assim, com a propagação ainda maior do vírus em todo o país. É preciso lembrar que o momento é de solidariedade. Logo, os demais bancos deveriam estar auxiliando nesse pagamento” – afirmou.
Na oportunidade, Eloy mostrou, ainda, muita preocupação com os bancários da Caixa. “Além de insultos e ameaças de agressões físicas na hora de organizar as filas, os poucos funcionários que permanecem nas agências estão totalmente sobrecarregados, pois é inviável atender à grande demanda de beneficiários, ainda mais porque muitos colegas estão, acertadamente, em regime de home office” – informou.
“Além disso, estima-se que quase 70 milhões de brasileiros têm direito ao auxílio, sendo impossível que apenas os bancários da Caixa assumam esse atendimento sozinhos, colocando em risco a sua saúde e a sua integridade física. Não é por menos que muitos colegas estão infectados com a Covid-19 no Estado” – criticou. Felizmente, porém, depois de muita cobrança do SEEB-MA, o Poder Público começou a atuar na organização das filas dos bancos em todo o Maranhão, por meio da Corpo de Bombeiros e da Polícia Militar.
No entanto, o número de militares destacados para as agências ainda é insuficiente.“Por isso, exigimos que a Caixa contrate uma empresa com pessoal especializado para organizar as filas, forneça tendas e cadeiras para os clientes, invista em publicidade sobre o auxílio emergencial e, sobretudo, convoque os aprovados no último concurso do banco, a fim de desafogar o atendimento nas agências e prestar um serviço seguro e de qualidade à população” – cobrou.
Para o SEEB-MA, não basta que a Caixa forneça EPIs para seus funcionários, é necessário valorizar e reconhecer o empenho desses profissionais. “Por isso, ajuizamos uma ação coletiva cobrando de todos os bancos o pagamento de adicional de insalubridade aos bancários que estão, diariamente, na linha de frente para atender a população mesmo em meio a essa crise sanitária sem precedentes – finalizou Eloy Natan.