.

As 5 linguagens de amor e a convivência familiar

As 5 linguagens de amor já devem ser conhecidas por muitas pessoas, mas sempre citadas de forma romântica, mostrando as vertentes de um relacionamento. Mas você já parou para pensar que as linguagens também podem ser aplicadas no convívio familiar. 

O professor do curso de psicologia do Centro Universitário Estácio São Luís, Jefther Rocha explica como funciona essa teoria. As 5 Linguagens do Amor” é uma teoria do escritor Gary Chapman. Este autor acredita que existem 5 formas de demonstrar o amor que alguém sente por outra pessoa e, quanto mais houver harmonia entre a forma que alguém demonstra e recebe amor, mais essas pessoas se sentirão queridas, amadas e compreendidas”, pontuou o professor. 

As linguagens podem ser divididas como: 

  • Palavras de afirmação;
  • Atos de serviço;
  • Tempo de qualidade;
  • Toque físico;
  • Receber presentes.

Quando os familiares não estão falando a mesma língua, isso pode causar desconforto e até uma sensação de não ser amado, por exemplo, “quando uma pessoa não se sente amada ao receber apenas presentes, sem demonstrações físicas e verbais de afeto, é como se os envolvidos não falassem a mesma língua e, consequentemente, não demonstram o afeto da melhor forma”, informou o especialista.

Essa falta de entendimento e até mesmo o diálogo, pode acarretar em dificuldades de relacionamento, podendo gerar divórcios, conflitos e discussões. Mas isso pode ser revertido buscando soluções saudáveis para manter ou superar crises. 

“Precisamos entender as diferentes formas de amar que as pessoas ao nosso redor têm para conosco. A melhor forma de manter relacionamentos saudáveis é falar a mesma linguagem do amor ou então criar pontes para que os familiares consigam chegar o mais próximo possível da linguagem do outro”, concluiu o professor.