Ações articuladas das Defesas Civis pautam debates em simpósio no Maranhão

Estimular a criação da Defesa Civil Municipal, promover medidas conjuntas envolvendo governo, municípios e população, além de ações para sensibilizar as comunidades produtoras foram as principais deliberações do I Simpósio Estadual de Redução de Desastres, realizado de 14 a 16 de outubro, sob coordenação do Corpo de Bombeiros Militar do Maranhão (CBMMA). O evento, transmitido pelas redes sociais do Governo do Estado, integrou a agenda de atividades da Semana Nacional de Redução de Desastres.

O simpósio mobilizou municípios para conter ações adversas e desastres naturais, e orientou para que desenvolvam trabalho coletivo, incluindo as comunidades para essa prevenção. Este plano de trabalho é promovido pelas Coordenadorias Municipais de Proteção à Defesa Civil (Comdecs), que mapeiam as áreas de risco, realizam deslocamento de população e encaminham para acesso a programas sociais.

O secretário Nacional de Defesa Civil, Alexandre Lucas, em fala no simpósio, destacou a importância da união dos sistemas de Defesa Civil estaduais e municipais, e na orientação das populações para evitar a queimada irregular. “Precisamos cuidar desta prevenção e ter uma gestão mais avançada na contenção destes riscos ambientais. Há países com muito mais recursos e tecnologias, mas que são vítimas das queimadas e incêndios. Queremos mostrar que podemos realizar um trabalho profissional, proativo e preventivo no combate a estes fatores. E isso passa por uma Defesa Civil articulada e organizada. Todos nós fazemos parte da Defesa Civil e nesse sentido, parabenizo a Defesa Civil do Maranhão”, enfatizou.

“Este evento se mostrou de alta relevância para que se apresentasse algumas análises e constatações sobre a coordenação geral do sistema de segurança do Maranhão. Temos como concepção e prática a intervenção mais equilibrada, que alcança nível maior de resultados na superação de problemas. Nos orgulhamos em afirmar que nosso Estado é exemplo de integração sistêmica dos órgãos, atuando de forma conjunta”, avaliou o secretário de Estado de Segurança Pública (SSP), Jeferson Portela. 

Para o comandante geral do CBMMA, coronel Célio Roberto de Araújo, o simpósio ganha importância ao mobilizar os municípios para atuar em conjunto com o Governo do Estado. “A população também pode colaborar com fins à prevenção e pela redução destes desastres naturais. Não vamos eliminar os desastres, mas reduzir os riscos e somar com os municípios na construção de um cenário mais seguro. Esse planejamento está alinhado com a política nacional de Defesa Civil”, pontua. 

O Maranhão verifica anualmente dois tipos de ocorrências naturais, que são as enchentes e inundações no primeiro semestre; e a estiagem no segundo semestre. No período de estiagem – classificado pelo aumento da temperatura, vegetação seca e fortes ventos – é comum ocorrência de incêndio florestal e queimadas. Grande parte destas queimadas são causadas por atos não autorizados e fruto da ação humana na preparação do solo para plantio, informa o comandante do Corpo de Bombeiros.

“Fica nosso alerta, com todas as ações que temos realizado e neste período, estamos em andamento com a campanha Maranhão sem Queimadas, reunindo diversos órgãos estaduais. É sempre um grande desafio, que passa pela prevenção e tem como foco o alerta à população dos riscos das queimadas fugirem ao controle, trazendo prejuízos materiais e ambientais”, destaca o coronel Célio Roberto de Araújo. 

O International Day for Disaster Reduction (IDDR) – Dia Internacional de Redução de Desastres – foi criado pela Assembleia Geral das Nações Unidas, em 2009. O objetivo é chamar atenção para políticas preventivas e de redução de danos humanos e materiais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.