Socioeducandos da Unidade da Funac em Imperatriz ganham concurso do ECA

Os socioeducandos da Fundação da Criança e do Adolescente (Funac) que cumprem medidas socioeducativas no Centro Socioeducativo Semear receberam o prêmio de 1º e 2º lugar no concurso de Cordel, em alusão aos 30 anos do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), que foi organizado pelo Conselho Tutelar de Imperatriz. 

A presidente da Funac Sorimar Sabóia parabenizou os adolescentes e a equipe do Centro pelo trabalho desenvolvido. “Oferecer oportunidades através da leitura, da escrita, é muito importante, é um exercício na verdade de cidadania para os adolescentes. A unidade está de parabéns por ter incentivado e motivado os socioeducandos a participarem do concurso que vai contribuir muito para a vida deles, é importante experimentar coisas novas, vivenciar coisas boas, que trazem reconhecimento de todos”, comenta.

Este ano, o concurso de cordel teve como tema: “ECA: 30 anos: Avanços e Desafios”. A equipe técnica da Unidade já vêm trabalhando os direitos previstos no ECA e a poesia de cordel com os adolescentes através de diversos projetos; um deles é o Projeto Cordel em Cordão, que explora através da literatura diversas linguagens: oral, escrita, musical e visual.

“O cordel permite trabalhar com uma infinidade de assuntos como direitos e deveres, temas trabalhados na socioeducação. Nas oficinas é despertado o potencial dos adolescentes. A premiação dos adolescentes é o momento de dizer para a sociedade que sempre há possibilidades e que os socioeducandos podem construir um novo projeto de vida, desvinculado do ato infracional”, destacou a coordenadora técnica do Semear, Cybelle Cavalcante.

O socioeducando declarou que ficou feliz em saber que o cordel ficou em primeiro lugar e falou dos seus sonhos. “Sou muito grato por poder participar do concurso e ter a oportunidade de mostrar meu potencial, é mais uma conquista na vida, que motiva a ser melhor e dar orgulho às pessoas que acreditam em mim. Tenho como inspiração o poeta Bráulio Bessa. Pretendo produzir mais cordéis e ser um grande escritor e ter minhas poesias publicadas”, comenta.

O adolescente que ficou em segundo lugar falou da importância de participar do concurso e que a premiação é o reconhecimento do trabalho desenvolvido no Centro Socioeducativo, por meio da oficina cordel em cordão e outros projetos na área da leitura e escrita. “Foi gratificante. Sei que minha família vai ficar muito feliz em saber da minha participação. Quero agradecer a todos da equipe da Funac que acreditam que podemos construir uma nova história de vida. Com esse prêmio, me senti hoje como um cidadão comum, como todo mundo. Ninguém olhou pra mim como um adolescente que cometeu um ato infracional”, declara.

O diretor do Centro Socioeducativo, Rodrigo Bonfim, também parabenizou os socioeducandos e falou do significado da premiação. “Cordel é literatura e proporcionar aos nossos adolescentes o desenvolver dessa arte como atividade sociopedagógica é muito gratificante. Garantir a participação deles em um concurso promovido pelo Conselho Tutelar e acompanhar a vitória deles em primeiro e segundo lugar é emocionante. Além do prêmio, os socioeducandos puderam ser reconhecidos pela sociedade por seus méritos culturais de estudo. É uma grande satisfação para todos nós da Funac, pois as equipes não medem esforços para proporcionar cultura a nossos educandos”, afirma.

A conselheira Raylene Bananeira enfatizou a importância da inclusão dos adolescentes privados de liberdade no concurso dos 30 anos do ECA. “É fruto de um esforço muito grande que as equipes vêm fazendo e os socioeducandos se sentem extremamente valorizados. A construção do ECA tem que ser feita por crianças e adolescentes e foi muito lindo a participação dos adolescentes da Funac”, comenta.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.