Socioeducandas da Funac participam de final da competição de soletrar

A socioeducanda, de 18 anos, passou o último mês estudando para a primeira edição do Soletrando, competição de soletração de palavras promovida pela Fundação da Criança e do Adolescente (Funac), por meio do Centro Socioeducativo Florescer (CSF). Com o objetivo de ampliar o conhecimento, favorecer a escrita e a pronúncia correta das palavras, além de estimular o raciocínio, promover interação entre as estudantes e o desenvolvimento intelectual.

O esforço e dedicação valeram à pena, a adolescente que cursa o 1º ano do ensino médio ficou em 1º lugar na atividade realizada nesta terça-feira (11), no CSF. “Se você estudar, você chega onde quer. Me dediquei para chegar ao final da competição, aprendi muito durante todo o processo e sei que todas nós ganhamos”, comemora a adolescente que conseguiu a primeira classificação. 

Assim como ela, outras cinco socioeducandas conseguiram chegar à última etapa da competição. A atividade proporcionou às adolescentes conhecerem as regras de ortografia e o encantador universo das palavras e seus significados.

As educandas tiveram que soletrar corretamente as palavras que foram sorteadas pela equipe de juízes da mesa composta por uma socioeducanda e dois técnicos da Funac, representados pelo psicólogo Angelo Macedo e a pedagoga Iranildes Silva, que avaliaram se a palavra tinha sido soletrada sem erros, incluindo as acentuações.

A presidente da Funac, Sorimar Sabóia, enaltece o trabalho da equipe técnica, que diariamente incentivam à cultura, através da leitura, escrita e projetos exitosos, caso do Reforçando a Aprendizagem, que está inserido dentro da escolarização, uma estratégia que a equipe utilizou para que as adolescentes não se distanciassem da rotina escolar, mesmo com a pandemia. A atividade apresenta o resultado do esforço de toda equipe que atua no Centro Socioeducativo.

“As socioeducandas nos surpreenderam de uma forma muito positiva, trazendo o real significado da educação que é esse aprofundamento, compreensão de mundo e o sentido das palavras. As adolescentes estudaram palavras novas que elas não lidam no cotidiano, e nas atividades realizadas aprenderam de forma interativa e lúdica”, avalia a presidente da Funac.

Para a diretora do Centro, Miriam Machado, os bons resultados refletem o trabalho das ações sociopedagógicas realizadas no sistema socioeducativo mesmo no período em que as aulas foram suspensas por conta da pandemia do coronavírus. “A efetivação do Projeto Político Pedagógico em incentivar as socioeducandas a valorizarem a leitura, a escrita e colocar em prática as mudanças que têm na Língua Portuguesa com a nova ortografia e continuarem estudando, mesmo com as aulas suspensas. As adolescentes estão de parabéns pelo empenho e compromisso com a medida socioeducativa”, comenta.

Uma socioeducanda ficou muito contente em conseguir participar da competição e chegar à reta final. “É uma emoção que não tem igual. O fato de ter participado já é uma vitória”, relata. Assim como ela, outra adolescente não escondeu a alegria de demonstrar o que aprendeu. “Foi muito importante conhecer a ortografia, o significado das palavras. O projeto propiciou essa competição que agregou muito conhecimento”, declara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.