Setor de festas aquece a economia e será tema de feira inédita em São Luís

O brasileiro tem fama de ser um povo festeiro. Essa característica impulsiona muitos negócios. O setor de festas envolve desde organizadores e decoradores até fornecedores de alimentos e bebidas, locação de equipamentos, transporte e serviços de entretenimento, como bandas, cantores e DJs. Essa cadeia produtiva se relaciona e encontra espaço para ampliar seus negócios em feiras do segmento, como a Expo Festejar.

A Expo Festejar, marcada para os dias 24 e 25 de abril, ocorre no Multicenter Sebrae, em São Luís, um espaço já bastante associado à promoção de atividades direcionadas ao empreendedor, perfil que prevalece entre os envolvidos no setor de festas, pois a maioria dos profissionais do segmento atua como Microempreendedor Individual (MEI) ou são empresas de pequeno e médio porte.

A feira conta com uma programação de palestras com profissionais de renome nacional, atrações como shows e atividades infantis, praça de alimentação e diversos estandes de empresas do segmento. A expectativa é que nos dias de feira sejam movimentados mais de R$ 2 milhões em negócios.

As idealizadoras do evento são as empresárias Patrícia Melo e Bianca Araújo. Patrícia atua no segmento de feiras há três anos. Ela é proprietária da Impulsione, empresa que promove e faz a gestão de feiras de diversos setores. Já Bianca é uma empreendedora do segmento de festas, proprietária do buffet Bora Brincar.

Patrícia vê no setor de festas uma grande oportunidade de mercado. “Essa cadeia produtiva dinâmica e diversificada proporciona não apenas o crescimento econômico, mas também a inovação e o desenvolvimento de diversas regiões do país, como é o caso do Maranhão. O setor de festas exerce um impacto significativo, contribuindo para a geração de renda e empregos tanto diretos quanto indiretos”, reforça Patrícia.

Segundo dados do IBGE, o setor de eventos e festas movimenta cerca de R$ 200 bilhões por ano na economia brasileira, representando aproximadamente 4,32% do PIB nacional. De acordo com a Associação Brasileira de Empresas de Eventos (ABEOC), o segmento também emprega mais de 7 milhões de pessoas de forma direta e indireta no Brasil.