Semed oferecerá formação em Braille e Soroban para professores da rede municipal de ensino de São Luís 

A Secretaria Municipal de Educação (Semed) vai iniciar, este mês, os cursos nos sistemas Braille e Soroban (instrumento de cálculo usado para o ensino de Matemática para pessoas com deficiência visual) para a formação de professores da rede municipal de ensino. As aulas acontecem nos dias 15 e 16 de março, sendo cada dia para um sistema, ambos de forma remota. O objetivo é capacitar esses profissionais que atuam no atendimento e no apoio especializado a estudantes com deficiência visual (cegos ou com baixa visão).

“A Semed vive um novo momento em que a Educação Especial é uma prioridade, considerando a necessidade de efetivarmos o processo de inclusão dos estudantes com deficiência e de oferecer a eles o atendimento qualificado. Por isso, a formação continuada dos nossos professores é uma etapa fundamental”, afirmou o superintendente da Área de Educação Especial da Semed (SAEE), Alexandrey Melo.

Os cursos serão realizados em parceria firmada com a Escola de Cegos do Maranhão (Escema), instituição filantrópica que há 54 anos garante a educação de crianças e jovens com deficiência visual e suas famílias. Em reunião realizada na última semana, da equipe da SAEE, o diretor geral da Escema, Antônio Ferreira Rocha destacou a importância de criar pontes para fortalecer a inclusão das pessoas com deficiência visual na sociedade.

 “Para nós é muito bom ter essa parceria com a Semed. No momento em que nós vamos trabalhar em prol de uma classe que é um pouco esquecida, é muito bom que tenha esse pensamento de melhoria, para que eles possam ser inseridos de forma igualitária na sociedade como pessoas, como cidadãos”, disse ele.

O curso de Braille será ministrado pela professora Maria Tereza, e o de Soroban pela professora Maria Raimunda Rocha, ambas da rede municipal de ensino. As duas professoras têm experiência e vivência em atividades voltadas para a história da Escola de Cegos do Maranhão e para a educação de meninos e meninas de São Luís.

Formação

Cada curso contará com a participação de 12 professores, somando 24 profissionais da educação, nesta primeira turma. As aulas serão transmitidas da Escola de Cegos do Maranhão, por meio da plataforma Google Meet. Parte da programação será gravada e disponibilizada para os professores pelo Google Classroom.

De acordo com as coordenadoras dos cursos, Kessia Lima e Yasmin Lima, cada capacitação tem 120 horas de carga horária e são a continuação dos cursos iniciados em 2020, interrompidos em razão da pandemia do novo coronavírus. “O novo formato obedece às medidas sanitárias e o distanciamento social. As horas/aulas devem ser distribuídas ao longo de seis meses”, disse Yasmin.

“Este ano reorganizamos o projeto e temos o desafio de realizar de forma on-line. Sabemos que é mais difícil porque são cursos que exigem muita prática e os professores precisarão se dedicar muito e ter muita disciplina para aprender e realizar as atividades propostas. Todos estão muito entusiasmados com essa oportunidade de aprender para poder, no futuro, ensinar”, explicou Kessia.

De acordo com o último Censo Escolar realizado pela Semed, a rede municipal de ensino possuI 33 estudantes com deficiência visual. Esses estudantes recebem todo suporte e apoio por meio do Núcleo de Braille da Semed, que fornece apoio pedagógico e suporte na produção e adaptação de material como atividades e livros para esses estudantes. Com a formação de mais professores, será possível atender esses e os novos alunos que estão sendo matriculados neste ano de forma especializada.

“Além do trabalho de formação dos professores, estamos também realizando uma busca ativa no sentido de trazer de volta para a escola os alunos que, por conta da pandemia e do distanciamento social, acabaram também se afastando da rotina de aulas e estudos. Nossa equipe está empenhada nessa missão e já temos respostas positivas de muitas famílias”, revelou Alexandrey Melo.