São Luis recebe exposição em outdoor

Após o sucesso da edição de estreia, realizada em 2020, no auge da pandemia, o projeto M.A.P.A. – Modos de Ação para Propagar Arterealiza sua 2ª edição com a mostra Horizontes Moventes com estreia em São Luis no dia 12 de setembro, rompendo fronteiras geográficas e levando arte para o espaço público através das obras de artistas atuantes nas mais diversas áreas da cultura.

A proposta é fazer um intercâmbio entre artistas e cidades. Deste modo, a artista mineira Laura Belém leva para a cidade seus importantes questionamentos sobre a destruição da natureza num mundo tão conturbado.

Ao ocupar 27 outdoors, nas 27 capitais brasileiras, com o trabalho de 27 artistas de linguagens múltiplas, o projeto M.A.P.A tem como intuito subverter a lógica do comércio, da propaganda e do palanque eleitoral – que faz uso frequente dessa mídia — para capturar o olhar do público desprevenido em suas rotinas cotidianas, fazendo da rua um espaço de ação e resistência.

“A proposta de tomar a cidade como espaço para exercícios imaginativos decorre da urgência de priorizar uma brasilidade afetiva, sonora, lírica e desejosa da possibilidade de construção de novas lógicas, de novas relações humanas, por meio de outras formas de embates e de visualidades.” Explica Patrícia Wagner, curadora do projeto.

Entre os nomes que terão obras expostas, Adriana Calcanhoto, Ana Lira, André Dahmer, Anna Bella Geiger, Antonio Obá, Ayrson Heráclito, Carlos Vergara, Carlos Zilio, Carmela Gross, Carmézia Emiliano, Castiel Vitorino Brasileiro, Érica Ferrari, Gustavo Caboco, Guy Veloso, Ícaro Lira, Jonathas Andrade, Juliana dos Santos, Laura Belém, Maré de Matos, Neide Sá, Rafael Bqueer, Regina Silveira, Rivane Neuenschwander, Valter Hugo Mãe, Virginia de Medeiros, Walter Carvalho e Yhuri Cruz

A mostra será dividida em 4 ciclos, começando em 6 cidades, exibidas em conjunto durante 14 dias, até completar o total de 27 cidades. Simultaneamente à exibição nos outdoors, as obras também serão incorporadas à plataforma virtual do projeto que pode ser acessado para mais informações: Link

“O caráter fragmentado e descentralizado do projeto M.A.P.A., faz com que esta não seja uma exposição convencional. Acreditamos que este estado de intermitência faz com que uma segunda edição seja tão necessária, ainda mais considerando o momento atual do país”, diz Camilla Barella, sócia da VIVA Projects ao lado de Cecília Tanure e uma das idealizadoras e organizadoras da mostra.