Quem, onde e quando usar máscaras de proteção hospitalar

As dúvidas em relação ao tipo de máscaras que devem ser usadas devido à pandemia do Covid-19, causam divergência, pois a maioria das pessoas ainda não compreendem quem de fato deve usar, onde e quando.

Diante disso, a Organização Mundial de Saúde, OMS e Prefeitura de Imperatriz, por meio da Secretária Municipal de Saúde, Semus, esclarecem alguns pontos sobre proteção e manuseio da máscara.

Segundo o protocolo da OMS, o uso do acessório é recomendado apenas para pessoas com suspeita do vírus e profissionais da saúde. A enfermeira Verônica Maia, que trabalha em uma Unidade Básica de Saúde, UBS, explica que as máscaras chamada de N95 ou PFF2 é uma das mais eficazes, pois garante proteção em dois sentidos, bloqueando pelo menos 95 % das partículas do ar.

Outra opção são as máscaras cirúrgicas comuns, que infelizmente andam em falta. E, de acordo com a indústria têxtil, a produção do TNT (tecido não-tecido), material utilizado na produção das máscaras cirúrgicas no Brasil, irá aumentar nos próximos dias.

Além disso, o Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, na quarta-feira, 01 de abril, incluiu também, o uso de máscaras alternativas, como as caseiras, visto que as cirúrgicas que são usadas principalmente por profissionais da saúde, já estão em falta. “Acho que máscaras de pano para os comunitários funciona muito bem como barreira. Não é caro de fazer, faça você mesmo, tem na internet. Faça você mesmo e lave com água sanitária ou o nome do produto que você conhece”, disse Mandetta nesta quarta.

A enfermeira orienta que medidas como higienizar as mãos antes e depois de encostar na máscara, seja ela caseira ou cirúrgica, para colocá-la ou tirá-la do rosto, tomar cuidado para não colocar a mão na máscara e não ficar ajustando sua posição, e descartar corretamente no prazo de até 4 horas ou caso fiquem úmidas, é uma das formas de manusear corretamente e proteger.

“A máscara é uma das medidas preventivas contra o novo coronavírus, entretanto o que nós estamos reforçando mesmo é a higiene e o distanciamento social. Lembrando que isso não tira o mérito de proteção do acessório, porém temos que reforçar que os profissionais da frente e os próprios pacientes já diagnosticados, necessitam mais, e com o aumento da procura por elas, podem acabar faltando, por isso moderação”, explica Verônica.

Vale ressaltar que até o momento, de acordo com pesquisadores e profissionais da saúde, não existe um consenso científico sobre o uso das máscaras para proteção contra o coronavírus por pessoas saudáveis ou assintomáticas. Ou seja, cada país está adotando e fazendo o que achar melhor em relação à recomendação.

Como usar?

Antes de colocar a máscara, lave corretamente as mãos com água e sabão ou álcool gel

Cubra a boca e o nariz, observando que não há espaço entre o rosto e a máscara

Evite tocar na máscara enquanto ela estiver no seu rosto

Se no seu estado faz muito calor, ou você transpira muito, troque a máscara quando estiver úmida

Nunca reutilize a máscara

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.