Procura pela delegacia online aumentou mais de 190% com a pandemia da Covid-19

A Delegacia Online (DEON), da Polícia Civil do Maranhão (PCMA), recebeu 16.441 ocorrências em sua página, na internet, nos primeiros dois meses deste ano. O número é 192,8% maior que o realizado no mesmo período de 2020, quando aconteceram 5.615 registros, em um período de início da pandemia da Covid-19. Desde março de 2020, com o começo das medidas restritivas, houve a expansão da DEON e ampliação no número de registros, aumento que vem se mantendo até o início deste ano.

Para fazer registros, o usuário deve acessar o endereço delegaciaonline.ssp.ma.gov.br; encaminhar solicitação pelo site para análise da equipe de suporte. Depois, recebe, por e-mail, um arquivo, em formato PDF, com o boletim de ocorrência já assinado.

Em caso de haver alguma incoerência no registro que impossibilite a validação do registro, o usuário recebe um e-mail com orientações para refazer a denúncia. Também pode ser orientado a comparecer, de forma presencial, a uma delegacia, caso a situação relatada não permita o registro por meio virtual. A previsão de retorno é de até 24 horas, conforme demanda.

O boletim de ocorrência registrado na DEON tem a mesma validade do registrado presencialmente, informa o chefe do Centro de Inteligência da Polícia Civil (CIPC), delegado Jalves Carvalho. “O que diferencia é o tipo de desdobramento que tem o registro, a depender do fato relatado, a exemplo de casos de violência doméstica, ameaça, maus tratos a animais, apropriação indébita, dentre outros que necessitam de investigação policial”, explica.

A maior procura ainda é para registros de boletins de ocorrência de extravio, preservação de direitos e furto simples. Nestes casos, são situações que, normalmente, não precisam da intervenção da Polícia Civil, no sentido de apurar ou investigar o fato.

O delegado ressalta a importância da adesão da população ao serviço da DEON. “É um serviço criado e ampliado justamente para diminuir a necessidade das pessoas irem a uma delegacia física para registrar, às vezes, coisas simples, como perda ou extravio de documentos. Então, antes de procurarem o serviço presencial, façam a busca nos serviços ali oferecidos, pois esse é mais um meio de proteção ao cidadão e às pessoas do seu ciclo de convivência, contra a Covid-19”, enfatiza.