Porto do Itaqui realiza mais uma operação simultânea com cinco navios

Em mais uma operação inovadora, o Porto do Itaqui destaca-se ao realizar, simultaneamente, o atracamento de cinco navios em seus berços. A conquista é fruto de uma operação realizada pela Transpetro que, pela segunda vez neste mês de janeiro, demonstra a capacidade de se operar simultaneamente nos berços de atracação.

A operação, que envolveu a transferência de Diesel S500, QAV, Gasolina, S10 e GLP nos berços 102, 104, 105, 106 e 108, reforça a eficiência do Porto em operações complexas e sua posição como um dos principais hubs de combustíveis do país. A operação só foi possível, graças a obra de extensão da linha de diesel e gasolina no píer 105, que foi concluída no mês de dezembro de 2023. Antes, só era possível operar navios de granéis sólidos nesse píer.


A operação simultânea, que durou 24 horas, otimizou o tempo e os recursos, reduzindo custos e aumentando a eficiência logística. Essa conquista é resultado do investimento contínuo da Transpetro em modernização e tecnologia, além da sinergia com o Porto do Itaqui, que oferece infraestrutura de ponta e uma equipe altamente qualificada.


“A Transpetro segue com projetos de aumento de eficiência e retirada de gargalos, o que certamente trará ganhos para toda a comunidade portuária do Itaqui”, destaca José Alisson de Sousa e Silva, Gerente do Terminal da Transpetro em São Luís. 

“Essa é a segunda movimentação simultânea de cinco navios no Porto do Itaqui pela Transpetro, ocupando cinco berços. Um marco histórico para o setor portuário brasileiro. Essa conquista demonstra o potencial do país para se tornar um hub logístico de referência internacional, impulsionando o desenvolvimento econômico e gerando novas oportunidades para toda a cadeia logística”, comemorou o presidente do Porto do Itaqui, Gilberto Lins.

Detalhes da Operação

Os navios Darcy Ribeiro (GLP), Stavanger Poseidon (S10), Nave Orbit (Gasolina), Pacific Blue (QAV) e o Salsa (Diesel S500), ocuparam cinco dos nove berços existentes no Porto do Itaqui, movimentando 92.000 toneladas de combustíveis.