Outubro Rosa Pet: mês de conscientização sobre o câncer de mama também atinge cães e gatos 

No mês de campanha do Outubro Rosa, que traz conscientização para diagnóstico e prevenção do câncer de mama, a data também deve ser lembrada para os cães e gatos, uma vez que a doença atinge quase metade desses pets no Brasil. 

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de mama atinge pelo menos 45% das fêmeas caninas. No caso das gatas, a doença atinge pelo menos 30% e cerca de 5% dos casos são diagnosticados como tumores malignos. Ainda segundo a pesquisa, 20% dos diagnósticos são tardios, o que, consequentemente, dificulta o tratamento. 

No entanto, a doença também pode se propagar em cães e gatos machos. Por isso, a necessidade de cuidados e, principalmente, de um diagnóstico precoce a fim de tratar o problema o quanto antes.  

A médica veterinária e coordenadora do curso de Medicina Veterinária da faculdade Pitágoras, Carla Janaina Rebouças, explica que a causa do câncer de mama envolve questões genéticas e hormonais, mas também está relacionado ao uso exagerado de medicamentos de anticoncepcionais e alimentação não balanceada. “Os principais fatores que podem desencadear o câncer de mama nos pets são genéticos, ambientais e individuais. No caso de fatores ambientais, temos a administração de anticoncepcionais que pode causar câncer principalmente em cadelas. Em fêmeas idosos acima de 7 a 8 anos há mais probabilidade para a doença”, pontua.  

Os sintomas podem variar dependendo do caso, porém os mais comuns são: dilatação na mama, secreção na região mamária, nódulos inchados, vômitos, falta de apetite. “No caso das fêmeas, a castração logo antes dos primeiros ciclos do cio é a melhor forma de prevenir tumores mamários, diminuindo a probabilidade da manifestação da doença”, explica.  

Além disso, o diagnóstico e tratamento precoce aumentam as chances de cura do tumor. A especialista destaca a importância de levar o pet para consultas ao médico veterinário, para fazer o check-up. “O diagnóstico precoce vai ajudar nas doenças. Em relação ao câncer é a remoção cirúrgica, sem comprometer a vida longa do pet. Mas a orientação é quando o animal manifestar algum desconforto, é interessante uma análise por meio de exames como tomografia, ultrassom, radiografias e biópsia, quanto antes, maior é o êxito para o tratamento”, orienta.