“Ótimos benefícios”, diz economista sobre entrada de Anitta no Conselho do Nubank

A decisão do Nubank ao anunciar Anitta como nova integrante do Conselho de Administração causou alvoroço na internet na tarde de ontem (21). Entre colocações do mercado financeiro e defesas do fandom da cantora, a economista Carolina Reginatto vê o novo cenário como uma boa estratégia do banco. “Ela [Anitta] é uma grande influenciadora e entende sobre as demandas das pessoas comuns”, afirma.

Nubank disse em comunicado que Anitta ajudará a melhorar seus serviços e participará de reuniões trimestrais com a diretoria para auxiliar nas decisões estratégicas. O CEO e fundador do banco, David Velez, disse que a cantora trará conhecimento de marketing para consumidores na América Latina. “Os decisores de empresas tomam atitudes para elevar seus números e atrair mais consumidores”, pontua Carolina, que acredita que Anitta levará ao Conselho ótimos benefícios para pequenos empreendedores e autônomos. “Eles não têm vez quando se trata de melhores condições de crédito e taxa de juros”.

Nascida na favela do Rio de Janeiro, Anitta foi indicada cinco vezes ao Grammy Latino e coleciona 54 milhões de seguidores nas redes. A cantora é a terceira mulher do Conselho de Administração do Nubank, juntando-se à Anita Sands e Jacqueline Reses, ambas com ampla experiência em fintechs.

“O mundo está em constante movimento, tal como o comportamento e necessidades das pessoas”, diz a economista, que vê a situação com positivismo. Carolina Reginatto tem 26 anos e é gaúcha. Além de economista e gerente financeira, é autora de “Numbers”, uma ficção publicada pelo Grupo Editorial Coerência.